28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

CIDADES - 19/10/2022, 17:51 - Louise Batista - Atualizado em 20/10/2022, 08:16

Prefeitura de Feira atrasa salários de servidores temporários da rede

Em nota, Prefeitura informa que notificou empresa responsável pelo pagamento

Fachada da Secretaria de Saúde de Feira
Fachada da Secretaria de Saúde de Feira |  Foto: Foto: Reprodução

O vereador Pedro Cicero (Cidadania), aproveitou seu pronunciamento realizado nesta quarta-feira, 19, na Câmara Municipal de Feira de Santana, para denunciar o atraso de pagamento dos Servidores públicos que atuam sob contrato temporário na área de saúde da Prefeitura de Feira de Santana, principalmente os que se encontram vinculados à empresa IMAPS, terceirizadora de mão-de-obra.

Durante sua fala, o vereador pontuou que tem conhecimento do problema por conta das acusações dos funcionários que chegam através de mensagens. "Profissionais trabalham duro, saem de casa às 5 horas para o serviço, mas na hora de receber a remuneração, para poderem pagar as suas contas, sequer tem uma previsão", protesta o vereador em favor dos servidores que estão há 45 dias sem receber o salário

Em resposta as denúncias, a Secretaria Municipal de Saúde informa através de nota, que notificou a Associação de Proteção à Maternidade e a Infância de Mutuípe (Imaps Saúde), empresa que presta serviços de mão de obra, para que seja cumprido o contrato em vigor e os funcionários terceirizados recebam o salário atrasado.

Vereador Pedro Cicero
Vereador Pedro Cicero | Foto: Foto: Reprodução

Denúncia

Após falar que os trabalhadores estão evitando se identificar, em suas reclamações, pois estão temerosos de que sejam punidos com a demissão, Pedro Cícero questiona "será que o prefeito Colbert Martins Filho e seus secretários também estão com o salário atrasado? É claro que não". Para o vereador, falta "humanidade" ao chefe do Executivo, em algo prioritário, como a saúde pública.

Para o entendimento do postulante, se os profissionais prejudicados decidirem suspender as atividades, o prefeito provavelmente "irá culpara a Câmara". Por fim, lembrou que "na época de José Ronaldo nunca existiu isto" e recomendou ao gestor entregar o cargo ao vice-prefeito Fernando de Fabinho, "que a cidade toma outro rumo".

exclamção leia também