29º Salvador, Bahia
previsao diaria
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Baía de Todos-os-Santos - 11/07/2023, 12:25 - Anderson Orrico

Pescadores estão aflitos com baleia-jubarte encalhada em São Francisco

Animal está em uma região de lama e com muitos ferimentos pelo corpo

Baleia está na região entre São Francisco do Conde, Ilha de Maré e Passé
Baleia está na região entre São Francisco do Conde, Ilha de Maré e Passé |  Foto: Leitor/Portal MASSA!

A baleia-jubarte que encalhou no mar da Região Metropolitana de Salvador no sábado (8) está causando comoção entre pescadores e moradores de São Francisco do Conde, Passé e Ilha de Maré. Em vídeos enviados ao Portal Massa!, é possível ver a movimentação dos barcos para tentar salvar o animal que nesta segunda-feira (11), voltou a encalhar.

De acordo com relatos da população local, na madrugada do sábado a baleia havia encalhado em Passé, próximo a um banco de areia, e como a maré estava baixa, foi necessário esperar que enchesse para que ela conseguisse se libertar. O Instituto Baleia Jubarte e a Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (Coppa), estiveram no local para monitorar e auxiliar no desencalhe.

Leia também:

Marinha monitora baleia que está encalhada em São Francisco do Conde

“Tô aqui com o coração na mão. Ela está entre uma torre e outra no meio da lama. A canoa me embaraçou e eu pensei que era um barco virado com o casco pra cima, mas era a baleia. A bicha maior do que um ônibus. Ela me deu uma rabanada que quase me joga na água e cavou lama. Estou a 500 metros de distância e ela está dando cada gemido que daqui estou ouvindo”, relatou um pescador ao encontrar o animal na madrugada do sábado.

null

Já na segunda-feira (9), depois que conseguiu sair do banco de areia em Passé, a baleia foi parar em São Francisco e desde então tem deixado os pescadores apreensivos por estar localizada em uma região conhecida como ‘Lama Podre’ e não conseguir sair. Segundo a professora e marisqueira, Edna Chagas, o animal está com ferimentos na pele sem forças para conseguir se locomover.

“Hoje ela está em São Francisco do Conde, em um local que é só lama e está se batendo nas pedras e com feridas na pele. A gente não vai aguentar ver essa baleia morrer. Ela é linda demais, muito grande e tentamos a todo custo ajudar ela. Esperamos a maré encher, fizemos companhia a ela, conseguimos que saísse em paz de Passé, mas foi e encalhou de novo”, contou Edna.

A equipe de reportagem do Portal Massa!, entrou em contato com o coordenador do Instituto Baleia Jubarte e médico veterinário, Gustavo Rodamilans, que detalhou tudo que foi feito para tentar ajudar o desencalhe.

“Desde o sábado estamos acompanhando essa baleia. Ela conseguiu se desprender do banco de areia, porém como ali é uma região de maré baixa, não conseguiu encontrar um canal, então ficou rodando ali dentro mesmo daquela região. Hoje ela está muito debilitada, por ficar se batendo na areia, tem ferimentos na pele, e vai ser difícil uma remoção, porque podemos causar danos a ela e levá-la a óbito também”, contou Rodamilans.

O veterinário também revelou que a previsão para o animal não é boa e que a equipe do Instituto, juntamente com o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e a Marinha, estão indo para o local avaliar o que pode ser feito.

“Esse animal entrou na Baía de Todos-os-Santos já que com alguma doença, por isso veio pra cá. Então já é mais difícil conseguir tirá-la, já que ela também não estava com forças para ganhar alto mar. Iremos avaliar o que é possível fazer, mas ao que tudo indica ela não vai suportar e irá morrer. Depois vai ser preciso fazer a remoção dela e será difícil também devido ao local em que ela está”, revelou.

De acordo com Gustavo Rodamilans, é muito comum que as baleias encalhem e isso situações como essa já são esperadas pelo instituto.

“Temos 30 mil baleias em toda costa brasileira. Ano passado tivemos 108 encalhes em todo o Brasil e este ano 12. Não é nada fora do normal e quando relacionamos com a quantidade de baleias que temos na costa, é um número pequeno que já é esperado pelo Instituto. Quando isso acontece, damos todo o suporte e fazemos de tudo para salvar o animal, mas nem sempre é possível”, concluiu.

Veja o vídeo da baleia em local de lama:

exclamção leia também