29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Que susto! - 09/06/2023, 15:03 - Da Redação

Motoqueiro detalha acidente na Avenida Paralela: "Perseguição"

Registro do acidente envolvendo um carro e uma motocicleta ocorreu nesta quinta-feira (8)

O momento do O registro do acidente envolvendo um carro e uma motocicleta ocorreu nesta quinta-feira (8)acidente foi registrado por testemunhas
O momento do O registro do acidente envolvendo um carro e uma motocicleta ocorreu nesta quinta-feira (8)acidente foi registrado por testemunhas |  Foto: Reprodução/Vídeo

A Avenida Luís Viana Filho, conhecida popularmente como Avenida Paralela, em Salvador, foi palco de um acidente atribulado nesta quinta-feira (8). O condutor de um carro modelo HB20 preto atropelou um motociclista. Segundo relato do motoqueiro, ele ficou ferido em virtude de uma confusão de trânsito.

Identificado como Berqsson Félix, a vítima foi atingida em alta velocidade. "Um homem desse não pode pilotar um carro. Ele usou o carro como uma arma. Tem que perder a carteira e ser punido", disparou o motociclista, em entrevista à TV Bahia.

Por meio de um vídeo enviado ao Portal MASSA!, é possível ver que o suposto agressor foge sem prestar socorro à vítima.

"Eu tinha saído de Cajazeiras 8, onde eu moro, para Pernambués, na casa de um amigo. Aí o carro me deu uma fechada no meio dos outros carros. Eu pedi que ele tivesse atenção porque ele estava pilotando um carro. Aí ele começou a me perseguir entre os carros. Eu cortava para um lado, cortava para o outro, a 80 km, 90 km, e ele me perseguindo. Pensei que ele já tinha desistido. Quando penso que não ele veio no fundo e bateu a mais de 160 km por hora", relatou.

Leia Mais
Linhas de busu vão mudar para adiantar o lado do soteropolitano
Motorista morre após batida entre três carros em Feira de Santana
ASSISTA: Motorista de carro passa por cima de motoqueiro na Paralela

Pegue a visão:

Bergsson contou ainda que bateu as costas nas pilastras, quando o capacete voou. Segundo ele, o desentendimento começou na altura do Centro Administrativo da Bahia (CAB). No geral, a perseguição durou aproximadamente três quilômetros.

"A discussão começou mais ou menos na altura do CAB e foi até a Grande Bahia, quando ele me alcançou. Eu havia pedido para ele ter atenção. Eu disse: 'siga seu caminho que eu siga o meu'", disse.

Após o caso, a Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador) alegou que o motociclista foi atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado ao posto médico do bairro de Pernambués. Em seguida a realização dos curativos, ele foi liberado.

exclamção leia também