29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Deu calote? - 17/05/2023, 09:51 - Da Redação

Instituto Provida não paga fornecedores e serviços param em Salvador

Empresa gere diversas unidades de saúde na capital baiana

Multicentro de Amaralina parou os serviços
Multicentro de Amaralina parou os serviços |  Foto: Divulgação

O Multicentro de Amaralina, da Prefeitura de Salvador, administrada pelo Instituto Provida, contratado do Município, parou os serviços por conta de falta de pagamento a fornecedores. Uma empresa que atendia no Multicentro denunciou que a direção do Provida está lhe devendo mais de meio milhão de reais e que parece não se importar com a prestação dos serviços públicos.

A empresa, que preferiu não divulgar seu nome, afirma que há meses vem tentando solucionar o impasse com o dono do Instituto, de nome Francisco Almeida, mas que o tratamento dispensado foi de descaso.

Por último, quando não teve mais condições de bancar os serviços sem receber e não encontrou outra alternativa senão parar os atendimentos a empresa recebeu ameaças em retaliação: “Recebi mensagem de whatsapp de uma gestora interna na unidade informando que o Sr. Francisco Almeida disse que estava pensando se pagava ou não as faturas em aberto, mas que agora que eu contratei advogados para cuidar do assunto que ele não ia pagar nunca”, conta a representante da empresa.

A prefeitura já tem conhecimento deste fato pois semana passada uma equipe de fiscalização do Município esteve na unidade e constatou que os serviços pararam, mas ainda não houve nenhuma medida para intervir na unidade e contratar outra empresa para gerir o Multicentro.

A redação de A TARDE tomou conhecimento que mesmo com a situação de não pagamento de fornecedores o Instituto impetrou mandado de segurança querendo obrigar a prefeitura a assinar aditivo do contrato que possui com o Instituto.

Além disso, verificou-se também que o Instituto Provida responde a mais de 100 ações na justiça comum de credores que não receberam por serviços prestados.

exclamção leia também