27º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Vazou! - 29/02/2024, 16:50 - Da Redação

FUP pede investigação por informações sigilosas vazadas na Petrobras

Alto escalão teria vazado informações sigilosas sobre processo

Atitude demonstra a possibilidade da existência de setores informais de informação paralela na empresa
Atitude demonstra a possibilidade da existência de setores informais de informação paralela na empresa |  Foto: Vanderlei Almeida/ AFP

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) solicitará à Petrobras que investigue uma suposta conduta antiética de funcionários de alto escalão da empresa, responsáveis por vazar informações de um processo que, por sua natureza, deveria correr em sigilo.

A atitude, segundo a entidade, viola o código de ética da companhia e demonstra a existência de setores informais de informação paralela na empresa, tal como era comum no governo anterior.

Segundo matéria publicada nesta quinta-feira, (29), no blog da jornalista Malu Gaspar, de O Globo, Deyvid Bacelar, coordenador-geral da FUP, estaria sendo investigado no comitê de ética da Petrobras. Bacelar desconhece tal processo. Se de fato houver esse processo, deveria ser sigiloso.

O texto afirma que a informação foi dada por “três fontes de alto escalão” da companhia. "A Petrobras tem que apurar quem do alto escalão vazou informação de processo sigiloso e com qual objetivo".

“Processos de cunho administrativo são sigilosos. Causa estranheza o vazamento para a imprensa antes mesmo da notificação da parte interessada”, diz Bacelar, deixando claro que, se for notificado, a defesa analisará se trata de abuso de autoridade do denunciante ou de tentativa de intimidação contra a liberdade de manifestação e de expressão de um dirigente sindical. “Essa quebra de sigilo é típica de períodos autoritários e que foram praticados recentemente pela Abin paralela”, ressalta ele.

O advogado Marthius Sávio Lobato, que representa a FUP no caso, diz que o vazamento de informações sigilosas, além de violar o código de ética da empresa por funcionários que deveriam ser os primeiros a manter a integridade das normas administrativas, viola direito fundamental de Bacelar. “Essa atitude tem a intenção, assim como os golpistas fizeram, de criar um sistema de vazamento de informações paralelo, que tem que ser apurado e ter a devida reprimenda”, afirma Lobato.

exclamção leia também