24º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Boa iniciativa! - 19/08/2023, 06:00 - Maria Laura S. de Souza

Documentário resgata histórias dos blocos afros e afoxés

O lançamento oficial do doc será no dia 25, no canal Trace Brasil e no YouTube do Salvador Capital Afro

A obra conta a história dos grupos Ilê Aiyê, Muzenza, Cortejo Afro, Didá, Malê Debalê, Olodum e afoxé Filhos de Gandhy
A obra conta a história dos grupos Ilê Aiyê, Muzenza, Cortejo Afro, Didá, Malê Debalê, Olodum e afoxé Filhos de Gandhy |  Foto: Matheus Leite

O Programa Salvador Capital Afro, programa da Prefeitura de Salvador, está lançando o documentário “Afros e Afoxés: A revolução do Tambor”. A obra conta a história dos grupos Ilê Aiyê, Muzenza, Cortejo Afro, Didá, Malê Debalê, Olodum e afoxé Filhos de Gandhy. O lançamento oficial do doc será no dia 25, no canal Trace Brasil e no YouTube do Salvador Capital Afro.

O documentário é uma série com 7 episódios que contam a história de resistência e legado dos grupos culturais, ressaltando a importância delas para a manutenção da cultura afro-brasileira. No dia 25, às 19h, serão lançados os episódios do Cortejo Afro, Ilê Aiyê e Didá. No dia 1º de setembro, vão ao ar os episódios de Muzenza e Filhos de Gandhy. Já no dia 8 de setembro, no mesmo horário, são exibidos os episódios do Olodum e Malê Debalê

A obra conta com depoimentos de músicos, representantes e associados, relatando a história e bastidores de cada entidade para a resistência da herança ancestral no Carnaval. O episódio do Cortejo Afro conta com a participação do artista plástico e fundador Alberto Pitta e a vice-presidente Andrea Nascimento, falando sobre o diálogo do bloco com as artes visuais.

A Deusa do Ébano, Gleiciele Oliveira, o produtor artístico Sandro Teles e o regente da Band’Ayiê Mário Pam tratam sobre o empoderamento proposto pelo Ilê Aiyê. No episódio do maior balé afro de rua do mundo, o Malê Debalê, o fundador Miguel Arcanjo, o mestre de dança Agnaldo Fonseca e a foliã Marcela Santos falam sobre o papel da agremiação na comunidade.

Regente da Band’Ayiê Mário Pam
Regente da Band’Ayiê Mário Pam | Foto: Matheus Leite

No episódio sobre a Didá, a maestrina Adriana Portela e a percussionista Lucila Laura contam a experiência de participar do primeiro bloco de percussão feminina do Carnaval de Salvador. A história do Muzenza é contada pelo mestre de bateria Mário Rodrigues, a produtora Luciane Neves e os associados Ramon Duarte e Dal Rasta.

O cantor Mazinho do Gandhy, o diretor Xiko Lima e o babalorixá Pai Toinho também relembram a religiosidade presente no afoxé Filhos de Gandhy. Já o episódio sobre o Olodum, grande símbolo pop reconhecido internacionalmente, é protagonizado pelo presidente Marcelo Gentil e pelo folião Adailton do Nascimento.

Além da importância cultural, a série é parte das ações do Salvador Capital Afro para posicionar a capital baiana como referência no afroturismo. Maylla Pita, diretora de cultura da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), acredita que o documentário divulga a identidade cultural promovida pelas agremiações. “A série nos conecta com aspectos dos blocos em seus respectivos lugares de atuação, para além do carnaval, e nos apresenta a força do tambor no chão da cidade, em suas dimensões sociais, educativas e estéticas”, afirma.

O CEO da Trace Brasil, Bruno Batista, ressalta que a série é um marco importante no compromisso do canal de apresentar ao Brasil e ao mundo as raízes do Carnaval Afro de Salvador. “Para nós, é uma honra e um privilégio fazer parte desse lançamento histórico, a força dessas entidades é, sem dúvida, um dos motores da cultura afro- brasileira e, por meio desta série, poderemos compartilhar suas histórias de resistência, seus ritmos e legados com o público”, afirmou.

exclamção leia também