28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

SITUAÇÃO INDELICADA - 12/05/2023, 18:03 - Pedro Moraes

Comércio de dentes humanos segue ‘em alta’ em Feira de Santana

Dentes humanos seguem sendo vendidos de forma ilegal na cidade baiana

Dentes humanos seguem sendo vendidos de forma ilegal na cidade baiana
Dentes humanos seguem sendo vendidos de forma ilegal na cidade baiana |  Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O curso de odontologia apresenta algumas ressalvas que levantam questionamentos por parte da sociedade. Isso porque, de acordo com informações divulgadas pela TV Caldeirão, muitos estudantes negociam dentes retirados de cadáveres por meio de grupos de mensagem na cidade de Feira de Santana, localizada a cerca de 100 km de Salvador.

“É um crime essa venda de dentes. Em nosso banco de Dentes aqui da UEFS temos um procedimento totalmente legal e dentro da lei, desde a chegada dos dentes, esterilização e repasse para os estudantes. Tudo é documentado e é um empréstimo para estudo, precisando ser devolvido no final da disciplina”, comenta Dayliz Pereira, coordenadora do Bando de Dentes Humanos da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

Ainda conforme a publicação, uma aluna, que não teve a identidade divulgada, enviou fotos para uma pessoa ‘fake’ que estaria interessada nos dentes naturais. Para a coordenadora, a ilegalidade do comércio envolve as faltas de estruturas das instituições.

Leia Mais

Brasil Sorridente será relançado hoje pelo governo

Influencer choca web ao publicar vídeo retirando seu 'dente falso'

É o troco? Mário Brasil detona artistas : "Não escovam os dentes"

Apesar desse lado ‘sombrio’, várias clínicas agem dentro da lei, doando os órgãos na categoria de coleção de dentes humanos. Uma estudante de uma faculdade privada da Princesa do Sertão comentou que não há outra alternativa na aquisição do material na sua faculdade.

Além disso, ela destacou que pode “perde na matéria”, caso não tenha “o dente exigido pelo professor”.

exclamção leia também