24º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Vixxxeee! - 09/04/2024, 11:58 - Dara Medeiros e Vinicius Viana - Atualizado em 09/04/2024, 13:31

Chuvas: população sofre com atrasos e 'banhos' em ruas alagadas

Galera desabafa sobre perrengues em dias de chuva na capital baiana

Alagamento no Parque São Cristóvão
Alagamento no Parque São Cristóvão |  Foto: Rafaela Araújo / Ag. A Tarde

As intensas chuvas que têm atingido a capital baiana desde o fim de semana têm gerado diversos transtornos para os soteropolitanos. Além das ruas alagadas, que dificultam o trânsito e causam congestionamentos, as quedas de árvores e os deslizamentos de terra são apenas alguns exemplos dos desafios enfrentados pelos moradores de Salvador durante os dias de chuva, obrigando muitos a mudarem a rotina.

Em entrevista ao Portal MASSA!, Edleide Souza, supervisora de uma rede de farmácias, afirmou que está sendo obrigada pelas fortes chuvas a sair de casa mais cedo para tentar evitar atrasos em seus compromissos.

"Esses dias, estou tendo que sair de casa bem mais cedo porque o trajeto que faço é de ônibus, metrô e ônibus. Os pontos de ônibus estão superlotados, não há espaço para a população. Além disso, tem os ônibus que às vezes não passam ou passam direto, sem parar para o passageiro entrar", declarou.

'Banho' em ruas alagadas

Carros passam em alta em ruas aladas
Carros passam em alta em ruas aladas | Foto: Shirley Stolze/Ag A Tarde

Em seguida, ela afirmou que motoristas mal-educados acabam molhando os pedestres em dias de chuva por trafegarem em alta velocidade em vias alagadas. "Falta empatia em alguns motoristas, que passam levando água e molhando todo mundo. Está sendo bem complicado, bem difícil. Espero que nos próximos dias o tempo melhore, até porque...", acrescentou.

Quem também tem enfrentado grandes desafios durante esse mau tempo é a jovem Maiane Ferreira, de 23 anos. Moradora do bairro de Plataforma, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, a servidora terceirizada na Defensoria Pública da Bahia atravessa a cidade para chegar ao trabalho, e nem sempre consegue manter a pontualidade. "Por morar em uma região mais periférica e de difícil acesso, onde ocorrem diversos problemas de congestionamento e alagamento, me atraso em algumas ocasiões", contou para nossa reportagem.

Maiane ainda faz faculdade pelo período noturno e acabou tendo que pegar transporte por aplicativo para tentar dar conta de todos os compromissos do dia, principalmente depois que várias linhas de ônibus foram retiradas de circulação. "A localidade é muito distante do Centro, o trajeto que é bem congestionado e tem a escassez de algumas linhas", explicou.

Estudantes ficam sem aula e se desdobram para chegar ao estágio

Estudantes ficam presos no engarramento por conta das chuvas
Estudantes ficam presos no engarramento por conta das chuvas | Foto: Rafaela Araújo/ Ag. A TARDE

Além dos trabalhadores, muitos estudantes ficaram prejudicados neste período chuvoso. Para Yohana Patrícia, de 19 anos, o único jeito de conseguir chegar no horário na faculdade e no estágio é abrindo mão de se alimentar. Ela é estudante de Fonoaudiologia e acabou perdendo o horário de almoço nesta segunda-feira (8), devido ao período que passou presa no trânsito: "Por conta da chuva, a cidade fica toda engarrafada e isso demanda mais tempo, então chego sempre no horário e não consigo me alimentar bem".

Moradora do bairro de Brotas, Yohana estuda em uma universidade na Paralela e leva bastante tempo para chegar ao local. Como a faculdade fica localizada em uma região com alagamentos, as aulas foram suspensas por dois dias por conta desses transtornos.

Além dela, um outro estudante da mesma universidade também tem sofrido. Ueslei Andrade, de 33 anos, é publicitário durante o dia e aluno de Psicologia no período durante a noite. Morador de Paripe, seu maior desafio é passar pela estrada do Derba, que já costuma engarrafar naturalmente.

"Para mim um dos piores trechos com engarrafamento de longa duração é na Estrada do Derba. É muito difícil não chegar atrasado quase sempre, principalmente pra a gente que mora em regiões mais afastadas do centro da cidade", desabafou Ueslei.

exclamção leia também