28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Se ligue! - 21/10/2023, 07:00 - Anderson Orrico

Black Friday: saiba como aproveitar sem cair na laranjada

Economista dá dicas valiosas para aproveitar bem as promoções e não ter dor de cabeça

Black Friday vai acontecer no dia 24 de novembro
Black Friday vai acontecer no dia 24 de novembro |  Foto: Raphael Muller/Ag. A TARDE

Um dos momentos mais esperado do ano pelos lojistas e por quem gosta de ir às compras é a Black Friday, que este ano ocorrerá em 24 de novembro. As lojas ficam lotadas, os sites com recordes de acessos e todos atrás de barganhar aquele produto na lista dos mais desejados no precinho. A categoria mais desejada pelos consumidores para este ano, segundo pesquisa divulgada pelo Mercado Livre, é a de eletrodoméstico, seguida de eletrônicos, celulares e acessórios de telefonia e moda

Mas como os clientes devem se preparar para aproveitar as promoções da Black Friday? O Massa! foi atrás do economista Gustavo Casseb Pessoti, presidente do Conselho Regional de Economia da Bahia (Corecon), que trouxe dicas valiosas para a galera.

Uma das maiores dúvidas de quem vai às compras é saber se as promoções são reais. Às vezes, uma determinada loja anuncia um desconto de brilhar os olhos, porém é pura enganação. Nesses casos, Pessoti afirma que as ofertas da Black são bem atraentes, mas orienta que o consumidor fique atento aos preços do antes e depois daquele produto que deseja comprar.

“A grande armadilha, que é uma grandessíssima, digamos assim, artimanha do comércio, de maneira geral, nesses momentos, é o desconhecimento que a sociedade, de maneira geral, tem do preço real que essas mercadorias, que entram na Black Friday, custam nos meses anteriores. Então, a população não sabe o valor dessas mercadorias, o preço que é cobrado por elas, aquela atração de R$ 1.650 por R$ 900 cria um impacto visual na pessoa que ela fica ensandecida, ela fica louca com a possibilidade de achar que está fazendo um negoção e pode estar literalmente sendo, digamos assim, relativamente enganada porque não acompanha o preço de referência daquilo que ela está comprando”, explica o economista.

Gustavo sugere que antes da empolgação com os preços anunciados pelas lojas, o consumidor dê uma pesquisada nas ruas, na internet e faça um mapeamento de tudo que quer comprar pra não ser pego pela empolgação.

“Então, uma dica muito preciosa para as pessoas é: querem adquirir determinados produtos? já sabem quais são esses produtos, é celular, é calçado, enfim, os itens que vão entrar na Black Friday? Então você começa a acompanhar isso desde antes, ou seja, escolhe um momento de referência para fazer uma consulta, uma ida ao shopping, uma consulta na internet, hoje a internet facilita muitas coisas. a Black Friday não perde a sua importância, claro que não, mas a internet ela já permite comparações de preços e compra naqueles locais que garantem entrega facilitada, rápida e pagamento mais facilitado, então tudo isso, digamos assim, não tira o bril, não tira a importância da Black Friday, mas hoje facilita muito que a pessoa tenha uma noção real de quanto custa cada mercadoria”, orientou.

Gustavo Casseb Pessoti é presidente do Conselho Regional de Economia da Bahia
Gustavo Casseb Pessoti é presidente do Conselho Regional de Economia da Bahia | Foto: Divulgação

Poder de compra 2023

O presidente do Corecon afirma que a economia brasileira está melhorando, e a baiana seguindo a mesma linha, devendo atingir 3,2% de crescimento nesse ano. A taxa de desemprego também reduziu, por exemplo, a Bahia caiu de 17% para 13,4%, já o Brasil foi de 9,4% para 7,8%, o que significa aumento do poder de compra. Aliado a isso, o programa Desenrola, do governo federal, vai tirar do processo de inadimplência mais de 32 milhões de brasileiros.

“Você tem a condição da melhora do ambiente econômico, da recuperação do ritmo de geração de empregos, da diminuição do processo inflacionário, e o programa Desenrola, que acaba sendo decisivo para quem quer voltar a ter crédito. Precisa, digamos assim, recuperar a capacidade de se tornar bom pagador e isso é super importante para as negociações, inclusive para a Black Friday”, ressalta Gustavo.

Para os que estão no vermelho, com a grana curta e devendo a muita gente na praça, o economista orienta a colocar o pé no freio, segurar a onda e deixar as comprinhas para depois.

Aspas

Desejo não é igual a necessidade. Necessidade é aquilo que eu preciso, é aquilo que me faz, me permite a vida, me permite a subsistência, me permite o trabalho, são as minhas necessidades. Desejo é algo que eu sonho, que eu quero alcançar

Gustavo Casseb Pessoti, economista

“Se a pessoa está no vermelho, não existe oportunidade para quem está no vermelho, tá? Ah, mas a gente tem muitas necessidades, né? Por isso que é importante, eu como sou professor de educação financeira, sempre falo nas minhas aulas, a importância de você saber separar desejo de necessidade. Isso é um pilar da educação financeira. Desejo não é igual a necessidade. Necessidade é aquilo que eu preciso, é aquilo que me faz, me permite a vida, me permite a subsistência, me permite o trabalho, são as minhas necessidades. Desejo é algo que eu sonho, que eu quero alcançar”, adverte Pessoti.

“Quem te muitas prioridades, não tem nenhuma. Se está no vermelho, é muito importante ter cautela, buscar o Desenrola, mas se não estiver elegível, as taxas de juros estão abaixando e é importante negociar, saber com quais credores tem dívida, procurar o Procon pra redução dessa dívida, pagar e tentar fazer a abstinência. Uma vez que a gente é viciado em consumo, é muito difícil resistir à tentação, mas é um desafio necessário para sair do vermelho e na próxima Black Friday adquirir algo que é seu desejo”, reforça.

Escala de prioridades

Entre as dicas dadas por Gustavo Casseb Pessoti, está aquela que avalia qual o desejo deve ser priorizado e como essa escolha deve ser feita pensando a curto, médio e longo prazo, sempre com foco nas condições financeiras da família.

“Então, se é um desejo, se é algo que você quer alcançar, ele tem que ser priorizado. Qual é a escala de prioridade? O que no meu desejo é mais importante? O que é mais pra curto prazo? O que é mais pra médio prazo? O que é mais pra longo prazo? Você escalona dentro de um horizonte temporal, dividindo curto, médio e longo prazo. E você coloca dentro do seu comportamento financeiro essa relação de desejo. Ou seja, se deseja ter uma casa, esse é um sonho pesado. Esse é um sonho que envolve financiamento muitas vezes de 10, 15 anos. Se esse é um desejo, fatalmente ele vai comprometer a sua receita durante muito tempo. Então, um desejo desse não pode ser combinado ao mesmo tempo com o de trocar moto ou de pegar um celular de última geração”, enfatiza.

Além disso, é necessário também ter em mente os gastos fixos mensais que todos os meses virão, como conta de luz, água, condomínio, aluguel, residencial, alimentação dentro e fora do domicílio. A pessoa só consegue adicionar compras depois que deduz do seu orçamento os custos fixos e variáveis que tem no mês, os variáveis com uma coisa bacana que possa ser controlado. Já o custo fixo não tem como controlar, pois aquele valor vai cair todo mês.

“A melhor dica que dou à população no momento é tentar minimizar o custo logístico, óbvio, mas a dica maior é a internet. Se eu tenho a internet como referência, se eu sei os produtos que eu preciso, então, assim, quando você ficar fera na educação financeira, você vai preparar a listagem daquilo que você precisa, você vai criar uma ordem de prioridade, crescente ou decrescente, e você vai falar assim, pô, isso aqui é para a Black Friday, esses aqui estão na cota da Black Friday, e você vai acompanhando, precisa ter noção. Não tem dica melhor do que essa”, completa Pessoti.

exclamção leia também