25º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Carnaval 2024

Justiça - 11/02/2024, 17:17 - Dara Medeiros

Polícia vai pra cima de autores de estupro coletivo: "Inadmissível"

Delegada-Geral da Polícia Civil garantiu que todas as medidas cabíveis foram tomadas

Heloísa Brito, Delegada-Geral da Polícia Civil da Bahia
Heloísa Brito, Delegada-Geral da Polícia Civil da Bahia |  Foto: Dara Medeiros

As autoridades baianas estão a todo o vapor para identificar os sete autores do estupro coletivo contra uma mulher durante o Carnaval de Salvador. O crime aconteceu no Circuito Dodô (Barra/Ondina), na última sexta-feira (9), e chocou a população.

Em entrevista ao Portal MASSA!, a Delegada-Geral da Polícia Civil da Bahia, Heloísa Brito, garantiu que equipes estão se dedicando para resolver o caso: "Cabe a nós, agora que aconteceu o fato, agir com muito vigor, com muita ênfase e rapidez para que a gente consiga chegar à identificação dos autores e a consequente prisão. É um crime inadmissível".

A delegada falou que a Polícia Civil está empenhada em "ouvir testemunhas, levantando as informações por meio de câmaras no percurso", mas atendendo também às condições da vítima, que ficou muito abalada: "Nós precisamos respeitar até o momento que ela se sinta confortável para conversar com as nossas equipes".

De acordo com a PC, não há registro de estupro coletivo na folia carnavalesca da capital baiana há alguns anos. "Não é comum no Carnaval de Salvador, é importante frisarmos isso. Inclusive, foge do histórico dos últimos cinco anos, onde nós não tínhamos registros dessa natureza", explicou.

Veja também:

Bruna Marquezine, Sasha e Hugo Gloss vivem muito no Carnaval de SSA

Nem a chuva tirou a criançada da avenida neste domingo

Carla Perez pega ar com motorista em trio infantil no Campo Grande

A Dra. Heloísa também afirmou que a Polícia Civil tem feito ações de conscientização à população, para alertar sobre a necessidade de denunciar qualquer maneira de violência e importunação, muito antes do Carnaval. Além disso, uma estrutura para acolher as vítimas desses crimes também foi montada.

"Foi acionada toda a rede de proteção à mulher, com a Secretaria de Saúde e toda a estrutura se colocando à disposição dessas mulheres vítimas de violência", contou.

exclamção leia também