Nas Ruas

Seg, 13/01/2020 | Atualizado em: 13/01/2020 às 05h06


Nas Ruas

Resistência e tradição Alvorada festeja 45 anos de samba

Vitor Castro*
A+ A-

O Alvorada, primeiro bloco de samba a sair às sextas-feiras de Carnaval nas ruas de Salvador, em 1975, comemorou, ontem, no Largo Tereza Batista, Pelourinho, 45 anos de história e resistência. Além do público em geral, o evento contou com a 'família Alvorada', um momento de encontros entre amigos e de preparação para o Carnaval deste ano. Pela manhã, uma missa na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos abriu os festejos do aniversário da agremiação. Este ano, o bloco leva para a avenida o tema "45 anos depois", que contará sua história.

Vadinho França, presidente do bloco, e que faz parte da agremiação desde o seu surgimento, conta que a data marca uma luta importante não só para o samba, mas para todo um povo. "Dentro do Alvorada constituímos uma família, o que fortalece nossa perseverança naquilo que nós queríamos, que era fazer samba. Gosto de dizer que o samba no Alvorada não é opção, é regra. Aqui desenvolvemos uma história de amor com o ritmo, com isso, sempre buscamos tocar nas questões de gênero, intolerância religiosa, tocar em aspectos sociais e culturais das lutas do povo negro", contou.

França explica que o bloco, que conta com pouco mais de duas mil pessoas na avenida todos os anos, foi pioneiro no Carnaval às sextas-feiras. "Todo mundo já tinha seus blocos de preferência, o Carnaval acontecia sempre aos domingos, segundas e terças. Para agregar todo mundo que queria participar do samba. chegamos à conclusão de fazer um bloco na sexta-feira e que tivesse como ritmo o samba", relembrou o sambista.