Viver Bem

Sex, 10/01/2020 | Atualizado em: 10/01/2020 às 05h06


Viver Bem

Calor e umidade podem ser vilões

gabriel conceição*
A+ A-
almassa.com.br

Praia, piscina, sol e calor são os ingredientes ideais para poder curtir com muita diversão o verão, uma das épocas do ano mais aguardadas pelos brasileiros.

No entanto, nem tudo são flores, pois, apesar de ser um cenário de descontração, também é uma época em que é necessário redobrar a atenção quando se trata da saúde íntima da mulher.

Trata-se de uma estação propícia para o aumento da incidência de candidíase, que é uma infecção da vagina e da vulva (parte externa dos genitais).

Na grande maioria das vezes, é causada pelo fungo Candida albicans. Entre os principais sintomas estão coceira e vermelhidão na região da vagina, corrimento branco e espesso e ardência na hora de urinar.

"No verão, o fato das mulheres transpirarem mais e utilizarem maiôs e biquínis molhados por um longo período favorece o surgimento da candidíase vaginal, pois o calor e a umidade são cenários propícios para a proliferação do fungo", disse a ginecologista Mônica Boeck.

"O fungo que causa a candidíase esteve sempre presente no corpo humano. No entanto, quando há queda de imunidade ou aumento da agressão externa, como esses exemplos, é que ocorre o aumento de casos, mas há como evitá-la com cuidados essenciais", explicou.

Para aproveitar o verão de forma sadia e evitar o surgimento desse tipo de infecção, siga alguns cuidados ao se divertir entre amigos ou familiares. Sempre que for à praia ou clubes, leve uma peça reserva da parte de baixo do biquíni ou um outro maiô. Assim, deixará a região seca e sem umidade.

"Outra dica importante é que a mulher deve evitar sentar-se na areia da praia sem proteção, pois pode facilitar o aparecimento da doença em algumas mulheres. Use sempre uma canga ou cadeira de praia para se proteger", concluiu a ginecologista Mônica Boeck.

*Sob a supervisão do jornalista Tiago Lemos