Esporte

Qui, 12/12/2019 | Atualizado em: 12/12/2019 às 09h08


Esporte

Melhor do que pior VAR goleia pro Baêa

Léo Santana
A+ A-

Principal novidade no Campeonato Brasileiro desta temporada, o árbitro de vídeo também é uma das pautas mais debatidas ao término da competição nacional. A tecnologia, que chegou neste ano para ficar, foi utilizada pela primeira vez na Série A de 2019 gerando muitas reclamações e polêmicas, mas também recebeu elogios por conta da redução de 'injustiças' provocadas pelos erros de arbitragem no futebol.

E, de acordo com o Espião Estatístico do Globo Esporte, o Bahia acabou o Brasileirão sendo a equipe mais 'beneficiada' pelo VAR com 16 interferências a seu favor, seguido por Vasco (15), Inter (12), Athletico-PR (11), Goiás (11) e Santos (11). O Esquadrão teve oito penalidades revisadas pelo árbitro de vídeo que não haviam sido marcadas antes. Entre estes exemplos podemos citar os pênaltis anotados diante de Palmeiras e Vasco, na Arena Palmeiras e na Arena Fonte Nova, respectivamente.

Por outro lado, o Tricolor foi 'prejudicado' pela tecnologia em sete oportunidades na competição, ou seja, nestes casos o VAR foi acionado e a decisão final acabou não sendo boa para a equipe baiana. Podemos citar como exemplo o gol marcado pelo zagueiro Juninho em cima do Santos, na Vila Belmiro, que acabou anulado, ou a penalidade assinalada em cima de Nino Paraíba, no duelo com o Avaí, em Salvador, que acabou sendo cancelada.

Quando comparadas as decisões pró e contra, o Esquadrão é quem mais conseguiu celebrar as decisões revistas pelo VAR com um saldo positivo de 9.