Nas Ruas

Sáb, 16/11/2019 | Atualizado em: 16/11/2019 às 04h05


Nas Ruas

Aeronáutica dá início a investigação de acidente

Miriam Hermes
A+ A-

Sem data prevista para encerrar os trabalhos, uma equipe do 2º Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa II), do Ministério da Aeronáutica, iniciou ontem, em Barra Grande, distrito de Maraú (a 477 km de Salvador), as investigações para apontar as causas da queda e explosão de um avião bimotor na tarde de quinta-feira (14).

No desastre, a jornalista e relações públicas Marcela Brandão Elias, 37 anos, ficou presa nas ferragens e morreu carbonizada. Outros sete passageiros e dois tripulantes se feriram e tiveram partes dos corpos queimadas. Os nove sobreviventes permanecem internados em Salvador. Oito deles estão na ala de queimados do Hospital Geral do Estado (HGE) e uma pessoa segue no Hospital do Subúrbio.

As famílias aguardam a estabilização do estado de saúde dos pacientes para posterior transferência a São Paulo, onde residem. Entre eles o garotinho de 6 anos, que perdeu a mãe no acidente, e o pai da criança, o empresário Eduardo Trajano Telles Elias, 38 anos. Ambos estão no HGE, assim como o piloto da aeronave, Aires Napoleão, 66, Marrie Cavelan, 27, Marcelo Constantino, 28, Fernando Oliveira Silva, 26, e o ex-piloto de Stock Car, Christiano Chiaradia Alcoba Rocha, mais conhecido como Tuka Rocha, de 36 anos. Também está internado no HGE Eduardo Mussi, irmão do deputado licenciado Guilherme Mussi. A mulher de Eduardo, Maysa Marques Mussi, 27 anos, é a única do grupo que até ontem permanecia internada no Hospital do Subúrbio, em Periperi.