Tá Quente!

Sex, 18/10/2019 | Atualizado em: 18/10/2019 às 08h01


Tá Quente!

Crise no PSL Manobra de Jair termina mal

Raul Aguilar
A+ A-

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) classificou como um ato de "desonestidade", o vazamento de um áudio em que pede assinaturas em um requerimento para trocar o líder do Partido Social Liberal na Câmara, substituindo o deputado Delegado Waldir (GO) do posto e colocando o seu filho, Eduardo Bolsonaro.

"Eu falei com alguns parlamentares. Me gravaram, deram uma de jornalista. Eu falei com alguns deputados. Eu não trato publicamente desse assunto, eu conversei individualmente com cada deputado. Se alguém esteve com grampo no telefone, primeiro que é uma desonestidade", pontuou o presidente em entrevista ontem, na saída do Palácio da Alvorada.

Na noite da última quarta-feira (16), alguns deputados do PSL, seguindo recomendação do presidente da República, apresentaram dois requerimentos pedindo a troca na liderança do partido na Câmara. A ala do partido, alinhada com o presidente da sigla, Luciano Bivar, apresentou outro requerimento que contou com a maioria das assinaturas, pedindo a permanência de Waldir.

A Secretaria-Geral da Mesa da Câmara dos Deputados confirmou ontem o nome de Delegado Waldir (GO) como líder do PSL na Câmara dos Deputados.