Plantão

Qui, 17/10/2019 | Atualizado em: 17/10/2019 às 08h02


Plantão

Operação MP interdita Aspra na BA

Leo Moreira Nicolas Melo
A+ A-

Leo Moreira

Nicolas Melo

redacao@jornalmassa.com.b

O Ministério Público da Bahia (MP) interditou, na manhã de ontem, as 20 sedes da Associação dos Policiais e Bombeiros Militares e seus Familiares (Aspra) na capital e no interior do estado.

As unidades funcionavam em Alagoinhas, Barreiras, Feira de Santana, Guanambi, Ilhéus, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Jacobina, Jequié, Juazeiro, Paulo Afonso, Porto Seguro, Santa Maria da Vitória, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Serrinha, Teixeira de Freitas, Vitória da Conquista e Salvador, onde o MP cumpriu mandados de busca e apreensão. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), o MP sustentou que a Aspra tem realizado assembleias incitando movimento paredista dos policiais, afrontando o artigo 142 da Constituição Federal, e causando grave risco à segurança pública e à coletividade.

Segundo o promotor Geder Gomes, o objetivo da ação foi inibir o desvio de finalidade da associação. "A legislação é clara e impede qualquer tipo de incitação e de greve dos militares e estávamos assistindo ações isoladas que passaram a aterrorizar e a comprometer a sensação de segurança da nossa sociedade. O MP agiu e continuará agindo", afirmou.

O secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa, destacou que ainda existem duas investigações em andamento, uma para apurar falsificação ideológica e documental de atas da eleição do corpo diretor da Aspra e outra, conduzida pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco) , sobre desvio de recursos.