Plantão

Ter, 10/09/2019 | Atualizado em: 10/09/2019 às 07h54


Plantão

Execução Morte chega sem mostrar o rosto

Nicolas Melo
A+ A-

A cena de casa invadida se tornou, nos últimos dias, o cenário habitual de crimes em Salvador. Desta vez, o caso aconteceu na madrugada de ontem, na rua 1º de Maio, no Alto de Coutos.

Homens encapuzados tiraram Daniel Mendes Santos Costa, 18 anos, de dentro do imóvel onde ele morava e o arrastaram para uma outra rua onde o executaram com vários tiros.

A poucos metros dali, está a residência da manicure Ana Paula de Jesus Nascimento, que também foi morta após a casa ter sido invadida por encapuzados, em 20 de agosto.

Daniel dormia com a companheira, grávida de 4 meses, quando três suspeitos entraram no imóvel. Depois que puxaram o rapaz para fora, eles atravessaram um campo de futebol e foram até a rua Santo Inácio – que fica no final de linha do bairro – e o mataram com tiros e pontapés.

Muitos dos moradores ouviram os disparos. A dona do imóvel onde o corpo da vítima caiu falou com a reportagem, mas sem se identificar, que era por volta das 2h15 quando ela e o marido acordaram com vozes na janela do quarto.

"Estavam conversando, mas não dava para ouvir o que era, quando um deles começou a soluçar e gemer. Os ruídos eram como se estivessem dando chutes em alguém. Depois vieram vários disparos. Estou sem dormir até agora por causa dos nervos agitados", contou. Ela ainda acrescentou que, ao ver Daniel, percebeu marcas de barro, além de escoriações, no rosto dele.