Esporte

Sex, 06/09/2019 | Atualizado em: 06/09/2019 às 04h03


Esporte

RENOVAÇÃO: DESAFIO COMEÇA HOJE

Felipe Paranhos
A+ A-

Passada a Copa América, o último motivo de Tite para continuar apegado ao elenco que disputou o Mundial da Rússia acabou. Afinal, por balançar no cargo, o treinador disputou o torneio continental com um grupo formado majoritariamente por seus velhos conhecidos. Com o título na mala, é hora de iniciar o principal desafio do ciclo para a Copa do Catar: renovar o elenco. E hoje, às 21h30, no amistoso contra a Colômbia, o torcedor verá a primeira amostra deste processo.

Com o acréscimo de Neymar e a saída de Everton Cebolinha, que não foi convocado para não prejudicar o Grêmio na Libertadores e na Copa do Brasil, o time titular ainda será a base daquele que derrotou o Peru na final da Copa América. No banco, porém, Tite deve começar a dar demonstrações do que pensa para a Seleção nos próximos três anos e dois meses – tempo que resta para o próximo Mundial.

Entre as principais novidades do elenco que joga contra os colombianos hoje e contra o Peru, na madrugada de terça para quarta, estão o zagueiro Samir, da Udinese, o lateral-esquerdo Jorge, do Santos, e os atacantes Bruno Henrique, do Flamengo, e Vinícius Júnior, do Real Madrid. Estes dois, o primeiro aos 28 anos e o segundo aos 19, têm a primeira oportunidade na Seleção e provavelmente estarão em campo em algum momento das duas partidas.

Vinícius, ausência cobrada na lista da Copa América, pode entrar no lugar de Neymar, que não disputa um jogo profissional desde junho. E Bruno, que tem sete gols no Campeonato Brasileiro da Série A, foi apontado como "verdadeiro 9" por Tite, que desde antes da competição na Rússia busca um centroavante com características diferentes das de Gabriel Jesus e Roberto Firmino.

O grupo de novatos tem também alguns atletas que estiveram na Copa América, como Lucas Paquetá e David Neres. Eles dividem campo e convivência com veteranos que provavelmente não estarão no Catar, como Daniel Alves e Thiago Silva, mas que serão fundamentais na transição rumo à segunda chance de Tite em Mundiais.