Plantão

Qui, 22/08/2019 | Atualizado em: 22/08/2019 às 04h03


Plantão

Latrocínio Dupla confessa morte em buzu

Nicolas Melo
A+ A-

Um abraço roubado e um beijo cheio de lágrimas refletiram a dor de Alba Marly Jesus dos Santos, 67 anos, ao ver, na manhã de ontem, o neto Rodrigo Campos Papa Souza, 19, preso. Ele e Alan Denison Araújo Santana, 19, que também está preso, são os envolvidos no roubo ao coletivo que resultou na morte do eletricista Robson Moitinho Lima, 46, na noite da última sexta-feira (16), em Paripe.

Ainda sem acreditar na cena do neto entrando no fundo de uma viatura, só restou o questionamento desesperado. "O que foi que você fez, meu filho? Me diz, o que foi?", perguntou Alba. "Apenas vá para casa, vó. Vá para casa!", respondeu, repetidamente, Rodrigo.

O delegado Glauber Uchiyama, coordenador do Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (Gerrc), e a diretora do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), a delegada Maria Selma Lima, apresentaram para a imprensa na manhã de ontem, na seda da Polícia Civil, na praça da Piedade, os detalhes das prisões que aconteceram na última segunda-feira (16).

"Cumprimos ontem (terça-feira) os mandados de prisão preventiva para os dois suspeitos. Em depoimento, os dois confessaram a autoria do fato e Alan admitiu que disparou contra o passageiro", disse Glauber Uchiyama. Os dois foram encontrados dentro de casa, em Paripe, no Subúrbio Ferroviário de Salvador. A arma do crime, um revólver calibre 38, não foi encontrada ainda.