Esporte

Seg, 19/08/2019 | Atualizado em: 19/08/2019 às 04h03


Esporte

Empate sofrido Todos pagaram pelo erro de um

Felipe Paranhos
A+ A-

Uma semana de treinamentos, mudanças táticas, surpresa na escalação... E tudo virou água aos 6 minutos do 1º tempo, com a expulsão de Moisés. Ainda assim, o Bahia se esforçou bastante e mereceu os aplausos da torcida pelo 1 a 1 contra o Goiás – num roteiro que, apesar de louvável, não deixa de ser frustrante para o torcedor.

O lateral-esquerdo destruiu os planos do técnico Roger Machado ao entrar de sola no tornozelo de Jean Carlos. O árbitro Raphael Claus, dono de um relevante repertório de trapalhadas neste Brasileirão, precisou ser alertado pelo VAR para mandar Moisés para fora. A situação ficou complicada para um time que já havia perdido Gilberto no aquecimento, por dor muscular.

Prejudicado pela falta de um jogador, o Esquadrão apelou – assim como fez contra o Cruzeiro, há um mês – para a raça e a correria. Assim como naquela partida, o Bahia tomou o controle do jogo e chegou com perigo duas vezes, com Artur e Lucca de fora da área.

No entanto, ao contrário do duelo contra a Raposa, o adversário foi competente e abriu o placar: Fábio Sanches aproveitou uma bobeira de Flávio pelo alto e cabeceou para o gol.

No segundo tempo, Roger decidiu buscar o placar, trocando Ezequiel por Guerra. E o venezuelano entrou muito bem: com sua técnica apurada, comandou o meio-campo tricolor e foi premiado com um gol de rebote 14 minutos após ir a campo. O empate coroou o melhor momento do Bahia na partida, que já havia levado perigo com duas cabeçadas de Fernandão.

Nos acréscimos, Douglas defendeu uma cobrança de falta no ângulo. O goleiro divide com Guerra o maior mérito pelo ponto na Fonte.

O Bahia volta a campo no sábado, às 11h, contra o Atlético-MG, no estádio Independência.