Viver Bem

Sáb, 10/08/2019 | Atualizado em: 10/08/2019 às 04h17


Viver Bem

O prazer não tem idade

gabriel conceição*
A+ A-
nalmassa.com.br

Falar de sexo na terceira idade ainda é um tabu para muitas pessoas, que acham a prática ousada demais para quem é idoso. No entanto, assim como os jovens, os idosos podem ter uma vida sexualmente ativa sem nenhum problema.

A masturbação é um ato praticado por todo ser humano sexualmente ativo. Em idosos, a prática traz inúmeros benefícios, tanto para a saúde física quanto para a mental, além de proporcionar um maior equilíbrio do sistema neuroendócrino (responsável pela produção de hormônios).

"A masturbação é de uma certa forma a promoção do autoprazer e do autoconhecimento. Então, respeitando a intimidade, não existe problema algum. Um orgasmo ao dia faz muito bem ao cérebro e ao corpo físico", aconselhou a enfermeira e sexóloga Magali Mourinho.

Assim como no sexo, a oxitocina liberada durante o orgasmo promove diversas melhorias, assim como a endorfina alivia dores de cabeça, artrite e outros incômodos. Segundo um artigo publicado no "British Journal of Urology", jovens de 20 e 30 anos que se masturbam frequentemente podem ter mais chances de desenvolver câncer de próstata, enquanto homens acima dos 50 diminuem o risco da doença quando fazem da prática uma constante.

Para um aposentado de 72 anos que não quis se identificar, a masturbação faz parte de sua rotina semanal. Ele revela que continuar com a prática, mesmo após os 50, o ajudou a manter a potência de quando era jovem.

"Sou casado há 20 anos e, mesmo tendo uma vida sexualmente ativa com minha esposa, eu me masturbo. Me sinto bem, leve e menos estressado. Enquanto ele (pênis) estiver na ativa, eu também vou estar", disse o aposentado.

*Sob a supervisão do jornalista Tiago Lemos