Viver Bem

Sex, 19/07/2019 | Atualizado em: 19/07/2019 às 08h00


Viver Bem

Câncer de cabeça e pescoço é barril

gabriel conceição*
A+ A-
nalmassa.com.br

O câncer de cabeça e pescoço faz parte dos tumores que atingem a cavidade nasal, seios da face, laringe e faringe. Eles normalmente são percebidos por uma ferida na boca que não cicatriza, sangramento sem motivo aparente e nódulos no pescoço.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a estimativa feita para o ano passado foi de 14.700 novos casos de tumor de boca (lábios e interior da cavidade oral) e 7.670 de laringe.

Por muitas vezes, esses sintomas costumam ser confundidos com uma simples infecção. É aí que mora o perigo. "O grande problema é confundir. Os sintomas causados por uma infecção teriam uma duração bem mais curta. Então, a temporalidade dos sintomas é fundamental quando se faz avaliação de um paciente com suspeita de câncer de cabeça e pescoço", disso o oncologista Lucas Santos.

A ingestão excessiva de bebida alcoólica (que representa cerca de 80% dos casos) e o hábito de fumar são fatores de risco para o desenvolvimento da doença; além do HPV, da má higiene bucal e da desnutrição.

A doença incide mais em homens, sobretudo acima dos 50 anos, e é transmitida pelas relações sexuais (HPV). Segundo dados do INCA, são esperados 43 mil novos casos a cada ano.

No entanto, os tumores de cabeça e pescoço, quando são diagnosticados precocemente, são muito curáveis. "Há tratamentos que evitam cirurgias invasivas do ponto de vista estético e funcional, que envolvem radioterapia e quimioterapia e, algumas vezes, drogas biológicas. Os tratamentos são efetivos para a maioria dos pacientes com doença ainda localizada. A parte fundamental é o diagnóstico cedo", finalizou o médico.

*Sob a supervisão do jornalista Tiago Lemos