Plantão

Qua, 10/07/2019 | Atualizado em: 10/07/2019 às 07h42


Plantão

"Surtou" Ligação põe doméstica na ponta da faca do ex

Nicolas Melo
A+ A-

Uma ligação anônima quase pôs fim à vida da doméstica Dinalma da Silva Pereira, 41 anos. A mulher levou dois golpes de faca na região da 'saboneteira', desferidos pelo ex-companheiro, Adaílton dos Santos Cruz, 45, que suspeitava que a vítima mantinha um relacionamento com outro parceiro.

Um motorista particular contou que estava almoçando quando ouviu os gritos da mulher. "Pensei que fosse um assalto. Tanto que imaginei o porquê da mulher estar gritando tanto. Depois que vi a movimentação e entendi que um homem tentou matá-la", contou Josemar Santos, 47. Ele ainda disse que viu uma faca na mão de Adaílton.

O crime foi cometido na tarde da última segunda-feira (8), na rua professor Clementino Fraga, na frente de um condomínio, nas imediações do Campus de São Lázaro, da Universidade Federal da Bahia, na Federação.

Depois que a mulher foi esfaqueada, alguns moradores que estavam próximos prestaram socorro à vítima até o cruzamento do Calabar, com a rua Professor Sabino Silva, em Ondina. "Eles pararam quando viram uma viatura. Os policiais pegaram a mulher, já toda ensanguentada, e levaram", disse o dono de banca de revista.

Os policiais socorreram Dinalma para o HGE, onde ela passou por uma cirurgia e não corre risco de morte, de acordo com um parente. "Eles foram casados por cerca de 20 anos e no ano passado se separaram. Ficaram um bom tempo distante, mas de alguma forma ele ficou sabendo que minha tia estava saindo com outra pessoa, aí ele surtou", falou Talita Silva, 31, sobrinha da vítima.

A titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), Heleneci Souza, falou que Adaílton teria recebido uma ligação anônima dizendo que a ex dele estava em outro relacionamento, que ele estava sendo traído.

"Ele esperou a vítima sair do trabalho e desferiu golpes de faca contra ela", disse a delegada. Adaílton atua como auxiliar de serviços gerais no mesmo local que Dinalma trabalha.