Nas Ruas

Sex, 28/06/2019 | Atualizado em: 28/06/2019 às 04h02


Nas Ruas

Aeroporto Duas versões para um único apagão

Márcio Walter Machado*
A+ A-

Após interrupção no fornecimento de energia elétrica na tarde de ontem, o clima era de normalidade no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães. A falta de luz que, segundo passageiros e funcionários, durou cerca de 20 minutos, não foi suficiente para causar transtornos significativos ou atrasos nos voos.

Em nota, a assessoria do aeroporto informou "que foi constatada uma interrupção de fornecimento de eletricidade no início da tarde desta quinta-feira (27). O motivo foi uma falha na subestação de São Cristóvão. A concessionária de energia foi acionada e retomou o abastecimento via subestação de Itinga, sem que houvesse impacto em voos e decolagens".

Já a assessoria da Coelba disse, também em nota, que "houve colisão de veículo com poste da rede de distribuição e o fornecimento de energia ficou interrompido para o aeroporto por menos de dois minutos, das 12h32 às 12h34".

Muito embora as informações sobre a causa e o tempo da queda de energia ontem sejam discordantes, esse tipo de problema no aeroporto de Salvador, segundo funcionários, não é raro.

"A queda de luz acarreta mau funcionamento do maquinário e interfere no atendimento ao cliente. A máquina de gelo, por exemplo, já queimou uma vez, a de sorvete também, devido aos apagões que já tivemos aqui", disse Edilene Fonseca, funcionária de um dos fast-foods na praça de alimentação do equipamento.

Na última quinta-feira (20), o engenheiro elétrico Elison Santos Barbosa, 35 anos, morreu ao ser atingido por um choque elétrico quando tentava restabelecer a iluminação da pista principal do terminal aéreo, atingida por uma falha no fornecimento de energia. O caso ainda está sendo investigado.

* Sob a supervisão da editora Meire Oliveira