Viver Bem

Sáb, 15/06/2019 | Atualizado em: 15/06/2019 às 05h02


Viver Bem

Sem sexo não dá!

Da Redação
A+ A-

Sexo é bom e ninguém quer ficar sem. Mas a situação pode ficar complicada para alguns homens após a cirurgia de remoção de próstata para retirada de câncer.

Mesmo que a recuperação e cura da doença sejam os pontos mais importantes, a vida sexual pós-cirurgia também é outro fator que preocupa a maioria dos pacientes que passam pela prostatectomia.

Para o uro-oncologista Marcos Tobias Machado, os principais riscos para a vida sexual, no caso de cirurgias de remoção da glândula, estão na perda da ereção, com insuficiência do pênis para atingir uma penetração firme na vagina da parceria, distúrbios na ejaculação, no controle urinário e na esfera do psiquismo. "Todas estas condições têm tratamento apropriado, que podem levar a recuperação da função sexual", explica. A utilização de medicações orais ou injeções antes da cirurgia pode ajudar a melhorar o padrão de potência prévia à intervenção cirúrgica. Como opções de tratamento é possível utilizar medicações orais, injeção intracavernosa e litotripsia extracorpórea (tem como função a regeneração dos vasos para melhorar a ereção). Caso não haja melhora na rigidez peniana, é indicado o implante de prótese peniana num período mínimo de 1 ano e meio após a cirurgia.