Nas Ruas

Qua, 15/05/2019 | Atualizado em: 15/05/2019 às 05h01


Nas Ruas

Santa Irmã dulce Reconhecimento ao Anjo bom da Bahia

Roberto Aguiar
A+ A-

A primeira santa nascida no Brasil é baiana e será chamada de Santa Dulce dos Pobres. O Vaticano reconheceu o segundo milagre atribuido à Irmã Dulce. A data da cerimônia de canonização será anunciada em julho, em reunião presidida pelo Papa Francisco, em Roma. Neste mesmo dia, será revelado o nome do agraciado pelo milagre. Em coletiva à imprensa, na tarde de ontem, na sede das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), Dom Murilo Krieger, arcebispo metropolitano de Salvador e Primaz do Brasil, informou que foi um homem, com cerca de 50 anos de idade, que voltou a enxergar depois de 14 anos cego.

"Em um momento de muita dor, devido a uma conjutivite, pediu a intercessão de Irmã Dulce, antes de dormir. Acordou bem melhor e voltou a enxergar", destacou o Arcebispo.

Dom Murilo explicou que o fato se encaixa nas quatros exigências para ser considerado milagre: instantâneo, acontecer após a oração; cientificamente inexplicável, mas que possa ser comprovado; perfeito; e duradouro, pois precisa ter ao menos cinco anos para começar a ser comprovado.

O médico Sandro Barral, que também foi um dos peritos que confirmaram o primeiro milagre de Irmã Dulce, ocorrido em 2001 (ver matéria ao lado), informou que o milagre intriga os médicos.

"Tivemos um amparo de vários oftalmologistas que avaliaram e opinaram sobre o caso. O paciente era completamente cego, andava com cão guia, e de um dia para o outro começa a enxergar sem explicação. Todos os médicos são unânimes em dizer que não existe um caso igual a este em lugar nenhum. Era um paciente que não voltaria a enxergar jamais. Todos os exames atuais ainda apontam como se ele estivesse cego, mesmo ele enxergando", ressaltou Barral.

O segundo milagre validado pelo Vaticano passou por três etapas de avaliação: comissão médica, que deu o aval científico; comissão de teólogos, que examinaram no ponto de vista da fé; por fim, por uma comissão de cardeais. A autenticidade foi reconhecida por unanimidade em todos os estágios.