Esporte

Qua, 15/05/2019 | Atualizado em: 15/05/2019 às 05h01


Esporte

Sem vacilo Tá faltando malandragem!

Felipe Paranhos
A+ A-

Não tem jeito: o assunto da semana vai ser a dificuldade do Bahia em vencer fora de casa. Com apenas cinco triunfos longe da Arena Fonte Nova desde 2017 – quando voltou à Série A –, o Tricolor perdeu a última partida, contra o Athletico, na Arena da Baixada, e terá pela frente o São Paulo, domingo, no Morumbi. Diante da situação, o volante Douglas Augusto disse que está faltando "malandragem".

O principal exemplo para a suposta ausência de 'esperteza' – para usar outro dos termos citados pelo jogador – foi a partida contra o Botafogo. Na ocasião, o Tricolor abriu o placar com 5 minutos, mas, ainda no 1º tempo, sofreu três gols. Douglas defendeu o time e afirmou que as atuações longe da Fonte não têm sido ruins, apesar dos resultados negativos.

"Contra o Botafogo, nossa equipe fez um grande jogo. Contra o Athletico, no segundo tempo a gente comandou o o jogo. O que está faltando é saber segurar o resultado que a gente faz. Contra o Botafogo a gente fez 1 a 0, em 20 minutos meteram três gols. É ser malandro pra sair com esses triunfos fora de casa", disse.

O confronto contra o Tricolor paulista, inclusive, terá uma dificuldade a mais: a partida vai acontecer às 11h. Embora a previsão do tempo aponte uma possibilidade grande de o jogo acontecer sob chuva, Douglas Augusto deixou claro que não curte o horário. "Acho que nenhum jogador gosta. Mas tem que passar por isso. São obstáculos, porque a gente não é acostumado", explicou.

O volante também comemorou a frequência com que tem atuado na equipe titular, sobretudo no Brasileirão, já sob o comando do técnico Roger Machado. O jogador, que veio do Corinthians, onde não conseguia atuar com regularidade, destacou a importância de os objetivos do clube e dele convergirem nesta temporada . "É muito bom pra minha carreira. Aqui no Bahia eu venho jogando como jogava no Fluminense: com sequência, com liberdade dentro de campo. E com a confiança do grupo, do treinador. Daqui pra frente, é só almejar coisas boas para mim e para o Bahia", encerrou.