Nas Ruas

Sáb, 04/05/2019 | Atualizado em: 04/05/2019 às 17h40


Nas Ruas

Solidão Corredores e bolsos vazios no Mercado de 'Caja City'

Raul Aguilar
A+ A-

Manter as portas abertas no Mercado Municipal de Cajazeiras está cada vez mais difícil para os 65 comerciantes do local. Devido à baixa procura, alguns permissionários já entregaram os boxes e voltaram a vender nas ruas, como o vendedor de frutas Rosemberg Souza, 36 anos. "O movimento lá é baixíssimo. O que eu ganhava em uma semana lá, ganho em um dia aqui na rua", pontuou o feirante.

Na esperança de ter um espaço digno para trabalhar, ao receber o box, o feirante tomou empréstimos com agiotas e acabou se endividando. "Eu vendi minha moto e peguei dinheiro emprestado para comprar o balcão, prateleiras e frutas, na esperança de fazer dinheiro. Acabou que não teve o movimento e tive que vender tudo. Até hoje pago R$ 600 de juros para agiotas", revelou.

Para movimentar o local e alavancar às vendas, o gráfico Rômulo Almeida, 43 anos, em parceria com a chaveira Cristiane Santos da Silva, 38, decidiu criar a Associação do Mercado Municipal de Cajazeiras (AMMC). A primeira decisão adotada foi a pesquisa de localização e consumo no bairro. "Fizemos uma pesquisa para entender o baixo desempenho do mercado e descobrimos que tem pessoas que nem sabem onde o fica o Mercado. Estamos criando estratégias para aumentar o número de visitantes", disse Rômulo.