Nas Ruas

Ter, 23/04/2019 às 10h35 | Atualizado em: 23/04/2019 às 10h58


Nas Ruas

Táxis entram na onda dos apps

Luan Borges*
A+ A-
Lançada pela Prefeitura, a fe rramenta deve incentivar o uso do serviço em todos os bairros da ca pital baiana - Reprodução
Lançada pela Prefeitura, a fe rramenta deve incentivar o uso do serviço em todos os bairros da ca pital baiana
Reprodução

 

A Prefeitura de Salvador lançou ontem, 22, o “Táxi Mobi”, um aplicativo de intermediaçãoentre os usuários de táxis e taxistas da capital baiana. A plataforma já está em funcionamento e conta com os serviços de 2 mil motoristas. A ideia é aumentar esse número para 7 mil. O valor da viagem é de R$ 2,42 por km rodados, com 20% de desconto, independentemente do dia e do horário da viagem.

O aplicativo pode ser baixado gratuitamente. De acordo com Fábio Mota, secretário de Mobilidade (Semob), em caso de reclamação, que pode ser feita através do 156, a secretaria fará a identificação do motorista e analisará o ocorrido.

Segundo o prefeito ACM Neto, o “TáxiMobi” foi desenvolvido a partir de conversas com empresas representantes desses serviços em Salvador. “Temos que nos adaptar às mudanças para sobreviver diante de novas realidades. O aplicativo serve também para ajudar o motorista a se adaptar a esse novo mundo e ausufruir disso”, destacou, anunciando que poderá ser lançado, em breve, um aplicativo específico para a solicitação de viagens com motos.

Para o presidente da União de Táxi, Leandro Galhardi, o aplicativo é favorável para motoristas e usuários, principalmente no quesito facilidade, pois o pagamento poderá ser feito à vista, com cartão de crédito ou débito ou até mesmo pela solução Inapp, no qual o cliente cadastra o cartão a ser utilizado para pagamento de todas as viagens.

Os taxistas que quiserem se integrar ao Táxi Mobi deverão se cadastrar por meio do sindicato, associação ou cooperativas que os representem na cidade. Os usuários podem solicitar ‘corrida’ em qualquer ponto da cidade. A Semob fará o redirecionamento e monitoramento dos veículos para que todos os bairros sejam atendidos.

*Sob a supervisão da jornalista Rita Conrado