Plantão

Ter, 23/04/2019 às 09h42 | Atualizado em: 23/04/2019 às 10h20


Plantão

Motô é executado no próprio veículo

Raul Aguilar
A+ A-
Teve até bandido que se disfarçou de mendigo para chegar perto de Anselmo e abrir fogo contra o motorista, no Retiro - Raul Aguilar
Teve até bandido que se disfarçou de mendigo para chegar perto de Anselmo e abrir fogo contra o motorista, no Retiro
Raul Aguilar

 

O assassinato do motorista de van Anselmo Francisco Cardoso Júnior, 42 anos, no início da manhã de ontem,chocou os comerciantes da Rua Baixinha de Santo Antônio, no São Gonçalo do Retiro. Todos os dias, Anselmo cumpria rigorosamente o mesmo ritual. Acordava por volta das 4h, tomava café e saía antes do sol nascer, para pegar sua van na rua que dá acesso à estação Retiro, do metrô.

Ontem, o ritual foi interrompido por dois homens armados que, segundo contou um popular, que não quis se identificar, atiraram no motorista, que morreu dentro do veículo. Um dos criminosos carregava um saco de lixo e se vestia como um morador de rua, segundo a testemunha.

Um familiar da vítima,  que pediu para não ser identificado, informou que Anselmo era um homem justo e um pai amoroso. “Fomos pegos de surpresa com essa notícia. Ele era trabalhador e um pai atencioso; deixou duas filhas. Ele deve ter reagido a algum assalto, não tinha inimigos”, pontuou o familiar. Segundo o parente, a van ficava na rua onde o crime foi cometido e Anselmo chegava com um carro de passeio para pegar o veículo de trabalho.

Edmílson de Jesus, 49, foi cobrador da vítima e, ainda muito abalado, disse não entender o que pode ter acontecido com o motorista. “Anselmo era um cara tranquilo, gente boa, não tinha inimigo. Rodei muito tempo com ele na linha Paripe-Centro. Todo mundo gostava dele. Quem fez isso certamente estava com inveja, despeito do trabalho dele”, ressaltou.

A família informou que o enterro do motorista está programado para ocorrer às 11h de hoje, no Cemitério Quinta dos Lázaros, no bairro da Baixa de Quintas.