Plantão

Qua, 03/04/2019 | Atualizado em: 03/04/2019 às 13h45


Plantão

Estrada Família bota morte na conta de escrivão

Andrezza Moura
A+ A-

Há dez dias, familiares do pedagogo Denílson Nunes de Santana, 26 anos, tentam provar que o escrivão da Polícia Civil José Raimundo Santana Filho, 44, foi o responsável pelo acidente de trânsito que ocasionou a morte do rapaz, no último dia 24, na BA-420, numa estrada entre os municípios de Santo Amaro (a 70 km da capital) e São Sebastião do Passé (Grande Salvador).

Na ocasião, segundo um irmão de Denílson, que preferiu não se identificar, o policial estava embriagado e havia acabado de fazer uma ultrapassagem em local proibido, colidindo de frente com a motocicleta pilotada pelo jovem. Raimundo, que é lotado na Delegacia de Santo Amaro, dirigia o Fiat Celta prata (JSP-8207), licença de Conceição do Jacuípe.

Em conversa com a reportagem, a delegada Joana Angélica, titular da 37ª Delegacia Territorial (São Sebastião do Passé) e responsável pela investigação, revelou que o agente prometeu se apresentar na unidade policial, na manhã de hoje, para prestar esclarecimentos.

Conforme ela, no dia do fato, o caso foi registrado na Delegacia de Santo Amaro e era apurado pelo delegado Adriano Lobo Moreira. O delegado também foi procurado para falar sobre o caso, mas, segundo uma funcionária da delegacia, ele não compareceria à unidade para trabalhar, ontem.