Esporte

Qua, 27/02/2019 | Atualizado em: 27/02/2019 às 05h02


Esporte

Alternativa para vencer

gabriel conceição*
A+ A-

Vindo de dois empates amargos fora de casa - 0 a 0 contra o Liverpool, do Uruguai, pela Sul-Americana e 2 a 2 com o Fortaleza pelo Nordestão - o Bahia tentará reencontrar o caminho do triunfo hoje contra a Jacuipense, às 21h30, no estádio Valfredão, em jogo válido pela sétima rodada do Campeonato Baiano. Com 11 pontos, o Bahia ocupa a terceira colocação da competição.

Comandado pelo técnico Enderson Moreira, o time alternativo do Esquadrão entrará em campo esta noite para buscar a liderança do estadual. Até então, esse time disputou cinco jogos em 2019. Foram dois empates, 0 a 0 Flu de Feira e 1 a 1 com o Atlético de Alagoinhas; uma derrota, 2 a 0 para o Bahia de Feira e duas vitórias, 3 a 1 em cima do Vitória da Conquista e 3 a 0 diante do Jacobina. Números que mostram um aproveitamento melhor do que a equipe titular, que em oito jogos ganhou apenas duas partidas, empatou cinco e perdeu uma.

O volante Nilton, que vem alternando nos dois times, apontou que o rodízio da equipe tem sido benéfico, pois todos estão se empenhando ao máximo para mostrar trabalho ao comandante. "Isso é muito bom, no sentido de todos poderem mostrar serviço, que podem ser úteis, que podem ajudar e tirar até aquela última dúvida que Enderson acaba tendo", afirma Nilton. "Pela quantidade de jogos, pelo calendário apertado que não tem como nenhuma equipe ter uma sequência tão grande... É muito bom ter elenco qualificado. A cada ano, o Bahia vem construindo um elenco de alto nível. É bacana 40 jogadores, porque mostra que pode estar ajudando", completa o volante.

Depois da eliminação na Sula e do empate contra o Fortaleza, críticas sobre o técnico Enderson Moreira surgiram de todos os lugares. O comandante chegou até retrucar afirmando que "brasileiro tem memória curta". Para Nilton, os resultados não têm refletido o que o Bahia vem apresentando em campo e aproveitou para pedir mais calma à torcida. "Jogar em equipe grande é pressão constantemente. Alguns resultados não condizem com o que o Bahia joga. Mas torcedor é parcial, tem aquela adrenalina, sempre quer ver o triunfo, mas tem que saber que do outro lado tem uma equipe com profissionais qualificados", afirmou.

* Sob a supervisão do jornalista Rodrigo Meneses.