Plantão

Qui, 21/02/2019 | Atualizado em: 21/02/2019 às 05h08


Plantão

Estupros Jovem viveu o inferno no lar

Da Redação
A+ A-

"Estado, não falhe comigo novamente. Com amor, Eva". A frase faz parte das cinco postagens, no Instagram, nas quais a estudante de direito Eva Luana da Silva, 21 anos, denuncia os estupros e torturas físicas e psicológicas que sofreu do padrasto, Thiago Oliveira Alves, durante nove anos. A mãe dela também era vítima das agressões.

A falha mencionada por Eva se refere à primeira vez em que ela denunciou Thiago à polícia. "Quando eu fiz 13 anos denunciei. Nessa denúncia eu tinha certeza que seria salva por todos. Mas não foi isso que aconteceu. O Estado falhou a tal ponto que o meu caso não chegou nem ao Ministério público. Fui obrigada a retirar a queixa por ameaças do meu padrasto", relata a jovem em uma das postagens. "Ele utilizou o poder financeiro pra comprar a liberdade e comprar a minha alma. Porque ali eu perdi a minha alma. E o que eu fui denunciar, um ano de sofrimento, se multiplicou em mais 8 anos", completa ela.

As publicações foram feitas na última terça-feira (19) e, entre outras agressões sofridas por ela pela mãe, Eva fala sobre os estupros. "Ele me agredia nos estupros mas depois de um tempo, só utilizou das ameaças contra a minha família. Eu era usada como um lixo. Já abortei diversas vezes. Nunca pude ir ao médico pra fazer curetagem. Todas as vezes sangrava e passava mal a noite inteira. Já vi os bebês inteiros no vaso sanitário", conta.

Em outro trecho, Eva diz que era obrigada a dormir na casinha da cachorra, a passar a noite e a madrugada em pé, a ficar horas sem comer. "Eu já sai pelada na rua de madrugada e ele dizia que era para eu ser estuprada por homens".