Tá Quente!

Qui, 21/02/2019 | Atualizado em: 21/02/2019 às 05h07


Tá Quente!

Secretário vira pivô de crise

Bruno Luiz
A+ A-

O secretário Alberto Pimentel virou pivô da primeira crise política do governo ACM Neto este ano. Aliado do presidente Jair Bolsonaro, o titular da Semtel tem sido alvo de críticas constantes de vereadores da base do democrata. Em sessão ontem na Câmara Municipal, governistas fizeram coro nos ataques a Pimentel. O líder do governo Henrique Carballal (PV) surpreendeu ao subir o tom contra o secretário. Ele pediu a demissão de Micael Thomas Scunderlick e Murilo Nascimento, ambos do PSL, nomeados por Pimentel para a Semtel. Em publicação na rede social, Nascimento criticou o DEM, partido do qual Neto é presidente nacional, ao dizer que a sigla ficaria na "escória" da esquerda.

A crise envolvendo o secretário começou com a revelação de que um aliado dele, o PM Jorge Bruno Guimarães de Souza, assinou atos da Semtel sem ter sido nomeado. O PM também sofre processo por ameaças contra a ex-namorada. O caso gerou reações na base aliada, que aprovou uma convocação do bolsonarista à Câmara para prestar esclarecimentos. No entanto, a crise tem pano de fundo político, segundo apurado pela reportagem junto a governistas. Eles reclamam da falta de diálogo de Pimentel, a quem se referem como "arrogante".