Nas Ruas

Ter, 19/02/2019 | Atualizado em: 19/02/2019 às 05h07


Nas Ruas

Protesto Associação reivindica respeito e valorização do Carnaval Cultural

Thalia Rios*
A+ A-

A Associação do Coletivo de Entidades Carnavalescas de Matriz Africana (ACEMA) foi às ruas ontem para protestar em defesa do Circuito Batatinha. O grupo se reuniu no Viaduto da Sé e seguiu em desfile simbólico rumo à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), na rua Chile.

A ACEMA reivindica manutenção, ampliação, fortalecimento e respeito ao carnaval cultural e ao programa Carnaval Ouro Negro.

A entidade entrou com uma representação no Ministério Público do Estado da Bahia (MPBA) para contestar o edital do Programa realizado pela SecultBA em parceria com a Secretaria de Promoção à Igualdade Racial (SEPROMI). No último dia 07 de janeiro, a SecultBA anunciou o novo formato do edital Programa Carnaval Ouro Negro 2019, em cumprimento a Lei Federal nº 13.019/2014.

O presidente da ACEMA, Nelson Nunes, considera o edital complexo e sem facilidades para acesso ao fomento. "É um edital burocrático, que junta no mesmo grupo entidades sem fins lucrativos e entidades com fins lucrativos. Além de ter sido feito muito próximo do Carnaval", criticou, afirmando, ainda, que, das 157 entidades carnavalescas cadastradas em Salvador, menos de 30 foram beneficiadas.

Nunes defende a valorização das entidades de matriz africana no Carnaval de Salvador. "Além de ser busca por reparação, manutenção da cultura ancestral e luta contra a discriminação, é também mostrar o que a gente tem de bom: a alegria, o nosso coração, a nossa alma no Carnaval", defendeu.

* Sob a supervisão da editora Kenna Martins.