Esporte

Sáb, 16/02/2019 | Atualizado em: 16/02/2019 às 05h08


Esporte

Troféu abençoado Campeões de 88 vão à sagrada colina

Levy teles
A+ A-

Faltando quatro dias para completar 30 anos do título do Campeonato Brasileiro do Bahia, ex-jogadores, treinador, comissão técnica e ex-presidente se reencontraram, ontem, na Igreja do Bonfim, na Ribeira, dando início a uma série de eventos para celebrar a data.

Da equipe participante da conquista, apenas uma ausência: Sidmar, goleiro reserva durante a segunda fase, atualmente no Japão, não conseguiu comparecer.

A iniciativa do reencontro dos jogadores foi movida pela Associação dos Campeões Brasileiros de 1988 (ACB 88). "Tivemos a ideia da associação com Evaristo de Macedo. Ele disse que no Barcelona tinha uma associação e a melhor coisa para nós atletas era fazermos o mesmo", revelou João Marcelo, presidente do grupo e zagueiro do time campeão.

"Acho muito importante, principalmente por estarmos sendo lembrados como jogadores ainda vivos. Estamos acostumados de sermos homenageados enquanto não estamos mais aqui", pontuou Zé Carlos. O atacante do Bahia naquele time foi importante no processo de reunião.

Foi por iniciativa dele que o time se reuniu, na celebração de 20 anos do título, para jogar uma partida amistosa contra o mesmo time do Internacional, adversário na final, jogada no ano de 1989.

Neste ano, alguns jogadores que ficaram fora do radar, como Rogério, peça importante ao título, foram encontrados.

Além da missa, que teve início às 11h, celebrada pelo Cônego Edson Menezes da Silva, o dia foi de homenagens. Com as presenças do presidente Guilherme Bellintani e do vice-presidente Victor Ferraz, João Marcelo conduziu a cerimônia de homenagens, que cedeu premiações de sócios beneméritos a personalidades ilustres, que tiveram sua participação no título brasileiro do Bahia. O primeiro foi o presidente da época, Paulo Maracajá, que recebeu a homenagem do aual presidente, Bellintani.

Funcionários de outrora e filhos de funcionários já falecidos, como Alemão, também receberam o título de sócio benemérito. "São 29 anos sem uma comemoração deste porte", lembrou João Marcelo, no discurso emocionante que durou quase 15 minutos, onde homenageou o zagueiro Henricão, campeão brasileiro de 1959 pelo Esquadrão.