Viver Bem

Sex, 18/01/2019 | Atualizado em: 18/01/2019 às 05h02


Viver Bem

Cuide bemda sua 'amiga'

Nágila Santana
A+ A-

redacao@jormalmassa.com.br

Durante o verão, a saúde da mulher fica mais propensa a riscos e infecções. "De uma forma geral, são mais frequentes devido a uma hidratação e alimentação inadequadas, além de hábitos prejudiciais à saúde, principalmente da região íntima. Assim, as vulvovaginites (infecções da vulva e vagina) são muito comuns nesse período, com destaque à candidíase", explica a ginecologista Fernanda Medeiros.

Essa doença pode afetar várias áreas do corpo. Porém, é mais comum na região genital, provocando coceira, secreção e ardor ao urinar, como diz a ginecologista: "O aumento da temperatura, o uso de roupas apertadas, sem ventilação adequada, o uso prolongado de biquínis úmidos, associados à alimentação e hidratação inadequadas, favorecem esse aumento na incidência da candidíase".

O tratamento, segundo a médica, deve ser feito com antifúngicos, que podem ser prescritos na forma de creme ou óvulos vaginais e/ou comprimidos orais: "Ao notar algum sintoma, é essencial procurar um médico, pois os tratamentos caseiros podem não tratar adequadamente a infecção, mascarando sintomas e prolongando o período infeccioso, resultando em situações de difícil tratamento ou complicações", detalha.

Atitudes como manter o corpo hidratado, a alimentação saudável e o sono preservado ajudam a manter o bom funcionamento do organismo e da imunidade. "Aliados a isso, alguns hábitos como o uso de roupas folgadas, permitindo uma ventilação adequada, a retirada do biquíni após o banho de mar ou piscina, evitando ficar com a peça molhada por muito tempo, e a higiene adequada da roupa íntima, permitindo secar ao sol, são cuidados que ajudam na prevenção da candidíase durante o verão", finaliza.