Plantão

Sáb, 12/01/2019 | Atualizado em: 12/01/2019 às 05h02


Plantão

Tráfico Trairagem quase mata o chefão

ANDREZZA MOURA
A+ A-

A forma truculenta como Aloísio Paim Santos, 38 anos, o Netinho, vinha conduzindo o comando do tráfico de drogas dentro do edifício Excelsior, na Praça da Sé, e o fato dele querer juntar algumas práticas da facção Comando da Paz (CP) à do Bonde do Maluco (BDM), da qual é integrante, foram os motivos pelos quais ele teria sido emboscado por ex-comparsas, na quinta-feira (10).

Segundo uma fonte policial, Netinho foi surpreendido a tiros, na portaria do edifício, por Tiago da Silva Pereira, 27, Hebert Oswaldo da Silva, Lucas Santos Conceição e um homem identificado apenas como Parmalat, que estariam descontentes com os mandos e desmandos do atual chefe, que, inclusive, teria expulsado alguns moradores. Os atiradores já estavam dentro do prédio, quando Netinho chegou acompanhado por dois pedreiros, que realizariam um serviço no local.

Na ação, Netinho foi baleado na perna esquerda, mas conseguiu atingir Tiago no tórax. Os dois foram levados ao Hospital Geral do Estado (HGE), onde foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e permanecem à disposição da Justiça.

Além deles, Hebert e Lucas também foram detidos por policiais militares do 18º Batalhão (Centro Histórico) e encaminhados à Central de Flagrantes. Todos foram autuados pela delegada Elaine Laranjeira. Com eles, foram apreendidos dois revólveres calibre 38, dois tabletes de maconha prensada, 167 trouxas de maconha, 148 pinos de cocaína e 25 pedras de crack.

Os pedreiros, que não tiveram os nomes revelados, foram ouvidos e liberados. Parmalat fugiu.