Tá Quente!

Qui, 10/01/2019 | Atualizado em: 10/01/2019 às 05h01


Tá Quente!

Geddel PGR pede mais tempo na prisão

Juliana Dias
A+ A-

A TARDE BSB

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, entregou, ontem (09), as alegações finais ao STF quanto ao caso dos R$ 51 milhões em dinheiro vivo encontrados em um apartamento em Salvador. Ela pede que o deputado federal Lúcio Vieira Lima (MDB), seu irmão, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, e o empresário Luiz Fernando Machado Costa Silva sejam condenados pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. No documento, Dodge reitera o pedido para que Geddel continue preso [o ex-ministro está na Papuda, em Brasília, desde 2017] e pede que sua condenação seja de 80 anos de reclusão. Em relação ao deputado Lúcio Vieira Lima, a PGR requereu 48 anos e seis meses de reclusão. Para Luiz Fernando, o pedido é de condenação de 26 anos de prisão. Ainda de acordo com a manifestação da procuradora, os três devem pagar multa.

Agora, a defesa deles tem que apresentar as alegações finais para que a segunda turma do Supremo possa julgar o caso. Por nota, o advogado Gamil Foppel registrou que "serão oferecidas tempestivamente alegações finais pela defesa, que aguarda que seja proferido acórdão absolutório, haja vista a inexistência de elementos mínimos de prova que permitam uma condenação. A defesa confia na imparcialidade do Judiciário, cuja análise será feita unicamente pelo que consta do processo o que, certamente, levará à absolvição".