Plantão

Seg, 07/01/2019 | Atualizado em: 07/01/2019 às 05h01


Plantão

Caso Jonas Família na bronca com empresa

Euzeni Daltro
A+ A-

A família do estudante Jonas Ribeiro Neto, 17 anos, pretende entrar com uma ação na Justiça contra a concessionária Integra Salvador Norte pela omissão durante o desaparecimento do adolescente. "Vamos entrar com uma ação contra a empresa de ônibus porque não houve colaboração da parte dela", afirmou a professora de filosofia Daila Ataíde, 26, irmã de Jonas.

Segundo ela, a família acredita que o corpo de um jovem encontrado dentro de um carro na localidade de Planeta dos Macacos, na manhã de sábado (5), é do estudante. Isso porque, além de estar com a mesma roupa que Jonas usava quando desapareceu (uma camisa preta e uma bermuda em tom jeans claro), o corpo foi encontrado com aparelho ortodôntico, objeto que o estudante também usava. O cadáver estava com pés e mãos amarrados e um saco na cabeça.

Jonas estava desaparecido desde a noite do último dia 15 de dezembro. Ele saiu da festa de aniversário de um amigo da escola, em Nova Brasília de Itapuã, por volta das 22h, e pegou um ônibus para casa, mas passou do ponto onde deveria descer. Quando se deu conta, o estudante não reconheceu o local onde estava e foi falar com o cobrador.

Ainda conforme a irmã dele, o cobrador disse que o ônibus seguia para o Bosque das Bromélias, mas depois voltaria para a Estação Mussurunga e ele poderia ficar em São Cristóvão, na volta. Já no final de linha, Jonas foi retirado de dentro do veículo por quatro homens armados, os quais ordenaram que o motorista e o cobrador fossem embora.