Esporte

Sex, 28/12/2018 | Atualizado em: 28/12/2018 às 05h01


Esporte

Experiência contará em 2019?

Amanda Souza*
A+ A-

Que a incorporação de novos e jovens nomes nos elencos é importante, nenhum torcedor tem dúvida. Mas e quanto à experiência de atletas já consolidados? Isso pode estar em baixa na dupla Ba-Vi para o próximo ano.

Por questões salariais, principalmente, Bahia e Vitória podem acabar 'dispensando' jogadores já calejados. Do lado tricolor, o alvo é Nilton. Pelo Vitória, pode sobrar para o capitão William Farias.

Aos 31 anos, Nilton chegou ao Bahia no final de 2017 para atuar na temporada de 2018. O contrato firmado era de um ano com cláusula de possibilidade de renovação para mais um. Oriundo do futebol japonês, o vínculo do volante ainda garantia que a renovação seria automática caso ele alcançasse um determinado número de partidas com a camisa do clube.

No entanto, Nilton fez 21 partidas pelo Bahia, marcou apenas um gol e não chegou ao número de jogos exigido para uma extensão contratual automática. Foi um pouco "esquecido" durante o Campeonato Brasileiro, não a toa fez apenas 11 jogos na competição nacional.

O experiente jogador confirmou que o impasse para a renovação do vínculo com o Bahia é a questão salarial, cuja pauta é a redução. Ele contou que segue aguardando a definição do clube. "Está parecendo uma novela mexicana. Da minha parte eu fico aguardando um contato deles, mas não posso ficar me desvalorizando", disse em entrevista ao GloboEsporte.com.

Nilton ainda assumiu que apareceram propostas de outros times, inclusive estrangeiros, mas que dará prioridade ao Tricolor. "É bacana você ver que os torcedores estão abraçando", contou.

Pelo Vitória, as negociações sobre a permanência ou saída giram em torno do 'capita' Willian Farias. Faltando pouco tempo para a reapresentação do elenco no Barradão, o volante ainda não sabe se permanece no Leão.

O contrato do volante vai até o fim da próxima temporada mas, assim como o caso de outros atletas do elenco, a questão salarial pode ser um grande empecilho. Com o orçamento apertado, o Vitória precisa colocar os gastos na ponta do lápis e dispensar ou negociar atletas de salários mais altos que a realidade atual.

E este é o caso de Farias, dono do segundo maior vencimento do elenco. O atleta chegou ao Vitória em 2016 por empréstimo do Cruzeiro e a boa atuação naquele ano fez com que o Leão adquirisse parte dos seus direitos econômicos em um contrato de três anos.

Farias conquistou também a confiança e o carinho da torcida, que já o considera um dos ídolos do clube. Com 113 jogos pelo Vitória, a liderança dentro e fora de campo lhe rendeu a braçadeira. A indefinição quanto à sua permanência deu um único passo: o Vitória liberou Willian Farias para dar início à procura por novos clubes para seguir sua carreira.

No entanto, com 29 anos e um histórico de lesões, esta procura pode se tornar complicada para o atleta. Em 2018, por exemplo, a sua utilização em campo caiu consideravelmente. Na temporada passada, sofreu um estiramento em um ligamento do joelho direito e, neste ano, teve uma lesão na coxa que o afastou dos gramados em março e, depois de recuperado, teve outra contusão, desta vez no tornozelo, que o deixou mais uma vez "de molho".

*Sob a supervisão do editor Léo Santana