Plantão

Qui, 06/12/2018 às 08h41


Plantão

A queda! Polícia põe fim ao 'reinado' de traficante poderoso

ANDREZZA MOURA
A+ A-
Megaoperação termina com 4 mortos e 14 presos em Salvador e Lauro - Andrezza Moura/Ag. A Tarde
Megaoperação termina com 4 mortos e 14 presos em Salvador e Lauro
Andrezza Moura/Ag. A Tarde

Uma quadrilha que movimentava, por mês, cerca de R$ 2 milhões com a comercialização de drogas foi desarticulada na madrugada de ontem por investigadores do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e Coordenação de Operações Especiais (COE) e policiais militares da Superintendência de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, durante a Operação Guerra e Paz, no Bairro da Paz, em Salvador, e em Lauro de Freitas.

Na ocasião, quatro suspeitos morreram e 14 foram presos por força de mandados de prisão. Entre os mortos, está o líder da organização criminosa, Roberto dos Santos, 36 anos, mais conhecido como Beto ou Betão. Ele morreu no Hospital Geral Menandro de Faria, em Lauro de Freitas, após confrontar os investigadores da COE.

Betão foi localizado em uma casa, no Condomínio Intervillas, na Estrada do Coco, em Lauro de Freitas, na companhia da mulher, Jucineide Pereira Vieira, 29, a Neide, e os três filhos do casal, dois meninos de 9 e 7 anos, e uma menina de 5 anos. As crianças foram entregues à avó materna, que mora no Bairro da Paz. Já Neide, que é apontada pela polícia como a responsável pela área financeira da quadrilha, teve o mandado de prisão cumprido.

A polícia apurou que Neide era quem lavava o dinheiro do tráfico de drogas com a manutenção de estabelecimentos comerciais de fachada e aluguéis de imóveis. Salão de beleza, lojas de bijuterias e lojas de artigos infantis funcionavam no Bairro da Paz, onde funcionava o 'quartel-general' da quadrilha.

Na residência do casal, foram apreendidos uma pistola fabricada na Rússia, calibre 9 mm, carregador, munições, um Chevrolet Spin e documentos falsos (RG, CNH e título de eleitor) em nome de Marcos Silva Machado. Os documentos eram usados por Betão. Todo o material foi encaminhado para perícia do Departamento de Polícia Técnica (DPT).