Esporte

Ter, 04/12/2018 às 09h32


Esporte

Um ano para esquecer

Amanda Souza*
A+ A-
Leão termina o ano em baixa, deixa o torcedor na bronca e precisa se reerguer para 2019 - Mauricia da Matta / EC Vitória
Leão termina o ano em baixa, deixa o torcedor na bronca e precisa se reerguer para 2019
Mauricia da Matta / EC Vitória

2018 não foi mesmo o ano do Leão. Entre crise política e fraco desempenho dentro de campo, a equipe rubro-negra encerra a temporada com saldo negativo e na bronca com o torcedor após amargar mais um rebaixamento.

As coisas já davam indícios de fracasso desde o início da temporada. Embora o rendimento geral do Campeonato Baiano tenha sido satisfatório (oito vitórias, dois empates e três derrotas), o desmpenho nos clássicos contra o Bahia e, principalmente, a perda do título para o maior rival já começaram o abalo que viria a romper a estrutura.

Em seguida, outra decepção: eliminação nas quartas de final da Copa do Nordeste para o modesto - e que viria a ser campeão do torneio na temporada - Sampaio Corrêa. Para o torcedor Yago Santos, essa foi uma das mais difíceis adversidades da temporada.

"O Vitória é o maior campeão dessa competição. É natural que a torcida espere um desempenho digno, chegar pelo menos a uma final", confessou o rubro-negro.

Com a eliminação na competição regional, a esperença era que o Vitória tivesse mais tempo para se dedicar à Copa do Brasil e, quem sabe, repetir a boa campanha de 2010. Ledo engano.

O Leão venceu quatro dos oito jogos disputados, deu o prêmio de artilheiro da competição ao atacante Neilton com quatro gols marcados, mas parou nas oitavas de final. Foi eliminado pelo Corinthians.

Restava apenas o Campeonato Brasileiro para tentar salvar o ano. Com o calendário mais folgado, o Rubro-Negro deveria tirar vantagem no início, já que algumas equipes ainda disputavam outras competições. Mais uma vez ficou só nos planos.

O primeiro triunfo rubro-negro só veio na quinta rodada, depois de três derrotas e um empate. Daí pra frente, poucas alegrias rondaram a Toca.

Foram apenas nove triunfos nas 38 rodadas - nenhum por mais de um gol de diferança. Ainda terminou com o título de defesa mais vazada da competição - 63 gols sofridos.

Para coroar a má campanha, o rebaixamento para a segunda divisão. Com uma rodada de adiantamento, o Vitória confirmou a queda e ainda assumiu, ao lado do América, a ponta do ranking de rebaixamentos. É, Leão, não há o que comemorar.

*Sob a supervisão do editor Léo Santana