Viver Bem

Qui, 08/11/2018 às 09h29


Viver Bem

Atenção aos indícios

Nágila Santana
A+ A-
Se tiver qualquer sintoma que pareça com AVC, procure o médico - Reprodução
Se tiver qualquer sintoma que pareça com AVC, procure o médico
Reprodução

Alteração da força muscular ou formigamento, assimetria facial, dificuldade na fala e na movimentação da língua, dor de cabeça súbita e intensa sem causa aparente, perda da visão de um olho ou dos dois e vertigem são alguns dos sintomas que podem ajudar a detectar o AVC logo no começo.

Segundo o neurologista Marcus Vinicius Della Coletta, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma das doenças que mais mata no mundo: "AVC é a segunda doença que mais mata e é a maior causa de incapacidades. Muitas dessas sequelas são decorrentes de um atendimento feito em intervalo de tempo inadequado".

Ele altera o fluxo sanguíneo em alguma região do cérebro, levando à morte das células na região. "Existem dois tipos. O hemorrágico, que é caracterizado pelo rompimento do vaso sanguíneo, e, em geral, é mais grave. Já no segundo tipo, o isquêmico, ocorre uma obstrução parcial ou total do fluxo de sangue no vaso. Estes caracterizam cerca de 80% dos casos", pontua.

O reconhecimento dos primeiros indícios do AVC é crucial para garantir um atendimento precoce. Com relação aos fatores de risco, "cerca de 90% dos casos estão ligados aos altos níveis de colesterol, diabetes, obesidade e hipertensão arterial. Níveis excessivos de álcool e tabagismo também aumentam os riscos", informa o especialista.

Além disso, o neurologista diz que existe uma pré-disposição genética para a doença, que pode ser analisada por um histórico familiar. O AVC é mais comum em homens e idosos.