Nas Ruas

Qua, 07/11/2018 | Atualizado em: 07/11/2018 às 15h59


Nas Ruas

Correios: agência fecha as portas

Roy Rogeres
A+ A-

É difícil transitar na região da avenida Paulo VI, na Pituba, e não notar a imponência do prédio dos Correios, que abriga mais de 30 anos de história e prestação de serviços, num espaço extenso, em área nobre da capital baiana.

No jardim da agência outrora central, as três esculturas "Oxalá", "Iemanjá", "Exú" - seis relevos de orixás na base de "Oxalá", do artista baiano Mário Cravo, chamam atenção e dão o tom da cultura baiana no espaço. Ao fim do expediente de ontem, porém, o equipamento fechou totalmente e definitivamente as portas. Comerciantes e clientes lamentaram o encerramento das atividades.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do Estado da Bahia (Sincotelba), as agências dos Correios nos bairros de Pau da Lima, Cajazeiras, Baixa dos Sapateiros, Aeroporto e Liberdade também foram fechadas.

No início desta semana, a vereadora Marta Rodrigues (PT) protocolou, na Câmara Municipal, uma moção de repúdio em referência ao fechamento das agências dos Correios na cidade, especialmente a da Pituba, que teria a perspectiva de alienação predial.

Segundo Marta, trata-se de uma das maiores da Bahia, arrecadando em média R$ 1,3 milhão por mês, com 30 funcionários em média. "O fechamento de todas essas agências, e a ameaça de que ocorra em maior número, representa a ausência de políticas públicas na área da comunicação e causará grandes transtornos para o povo de Salvador", considera a vereadora.