Esporte

Qua, 07/11/2018 | Atualizado em: 07/11/2018 às 15h59


Esporte

A Casa CAIU! Carpegiani é demitido com Leão em crise

gabriel conceição*
A+ A-

O Vitória anunciou na tarde de ontem a demissão do técnico Paulo Cezár Carpegiani do comando da equipe. A saída do treinador, na véspera do Ba-Vi do próximo domingo, pegou vários torcedores de surpresa.

O comandante deixa o clube em uma crise ainda maior, afundado na zona de rebaixamento do Brasileirão, na 17ª posição e com apenas 34 pontos conquistados. Assim que confirmou a saída de Carpé, os dirigentes rubro-negros trataram de confirmar que o jovem João Burse, treinador da equipe sub-23, ficará à frente do Leão até o fim da Série A.

Em sua terceira passagem pela Toca, Carpegiani comandou o Rubro-Negro em 14 partidas, sendo sete derrotas, quatro triunfos e três empates, com 11 gols marcados e 17 sofridos, em um aproveitamento de quase 36%. O técnico, que havia sido contratado após a demissão de Vagner Mancini, chegou com a missão de salvar o Vitória da degola e ajustar a defesa, que era o principal ponto fraco do time na época, mas não obteve êxito.

Sua estreia não foi das melhores, pois o Leão acabou derrotado por 3 a 0 pelo Palmeiras, no Barradão. No entanto, a partir deste jogo, o Vitória mostrou uma postura tática bem diferente e mais equilibrada, conseguindo embalar quatro jogos invictos e sem sofrer gols. Mas como diz o ditado: "tudo que é bom dura pouco". A sequência positiva não se manteve e o time voltou a desapontar, brigando novamente pela parte de baixo da tabela.

Para o presidente do Vitória, Ricardo David, a falta de motivação entre os atletas, resultados ruins e a pouca integração do grupo, levaram o clube a tomar esta decisão."Percebemos que havia uma desmotivação. Falei que fiz minha parte, mudei uma peça, entra um novo treinador, da casa, pessoa jovem, com metodologia jovem, querendo aparecer no cenário, precisando da cooperação deles. Pedi o apoio de todos e tive esse comprometimento", revela o dirigente.

Faltando apenas seis rodadas para o fim do Brasileirão, o mandatário rubro-negro garante ainda que esta era a hora para a mudança. "Cada jogo é uma responsabilidade imensa... Haverá uma doação completa para o nosso objetivo até o fim do ano", completa o presidente.

*Sob a supervisão do editor Léo Santana