Esporte

Seg, 05/11/2018 | Atualizado em: 05/11/2018 às 05h01


Esporte

Tricolor acaba com tabu

Levy Teles*
A+ A-

Existe uma sabedoria do futebol que diz: 'tabu é feito para ser quebrado'. A Chapecoense, que nunca havia perdido para o Bahia, perdeu. Seis jogos depois, dos pés de Élber saiu o único gol da vitória do Tricolor de Aço, que dá fôlego ao time para não estar disputando a vida na Série A no Ba-Vi do próximo domingo, no Barradão.

Em uma bela homenagem ao Novembro Negro, mês da Consciência Negra, o Bahia colocou nomes de personalidades negras importantes para a história do país em seus uniformes.

Élber, autor do gol, atuou com a camisa de Biriba, campeão brasileiro pelo clube em 1959. Com o tento de ontem, Élber chegou a cinco gols pelo Bahia.

Agora, o Esquadrão soma 40 pontos, no 11º lugar, seis acima da zona de rebaixamento.

Fora duas grandes chances da Chapecoense, no final do primeiro tempo, o Bahia controlou todas as ações da partida.

A primeira boa chance veio logo aos dois minutos. Numa falha de saída de bola do goleiro Jandrei, a bola sobrou para os pés de Edigar Junio, sem marcação, chutar ao gol. A finalização acabou parada pelo goleiro.

Três minutos depois, após um chute de fora de Gregore, o rebote dado por Jandrei sobrou para Edigar Junio, completamente sozinho, com o goleiro vencido, empurrar a bola para os fundos da rede. Mas o atacante chutou a bola para fora.

Aos 28, o próprio Edigar ficou na frente de Zé Rafael em finalização após cobrança de escanteio. Não era noite do atacante.

No segundo tempo, aos 21, veio então o gol salvador. Zé Rafael fez boa jogada individual na frente da área e tocou para Élber, dentro da área, bater na saída de Jandrei, um belo gol.

*Sob supervisão do editor Daniel Dórea