Esporte

Qui, 11/10/2018 | Atualizado em: 11/10/2018 às 07h10


Esporte

Como fica pra quem usa carro?

Amanda Souza*
A+ A-

O Ministério Público da Bahia abriu um inquérito para investigar a Estapar Estacionamentos, empresa que administra o estacionamento da Arena Fonte Nova, sob acusação de cobrança "abusiva, diferenciada e desproporcional" em dias de jogos do Bahia.

A Portaria, assinada pela promotora Joseane Suzart Lopes da Silva, destaca que 48 torcedores entraram com uma representação alegando que a Estapar aproveita-se da alta demanda em dias de jogos, o que estaria gerando prejuízos materiais e morais para os torcedores.

De acordo com a assessoria do Ministério Público da Bahia, as apurações ainda são iniciais, mas é dever do órgão fiscalizar as relações de consumo, principalmente em casos que envolvam os direitos das torcidas.

A queixa é baseada no valor cobrado pelo serviço quando tem jogo do Bahia. Segundo fotos tiradas por torcedores, a tarifa em dias de partidas é de R$ 25; em outros eventos, o valor cai para R$ 10.

Em resposta, a Estapar informou que "o preço praticado no estacionamento da Arena Fonte Nova é um dos menores do mercado brasileiro, se comparado a outras arenas e estádios do mesmo padrão". Além disto, destacou a realização de frequentes campanhas promocionais que oferecem benefícios aos usuários.

Já o Bahia informou que o clube não exerce nenhuma influência em relação ao valor cobrado no estacionamento e que trata-se de uma responsabilidade da Arena Fonte Nova e da Estapar. O MASSA! não obteve resposta da Arena.

Em agosto, a torcida tricolor chegou a se manifestar nas redes sociais com a hashtag "#NãoEstacionenaFonte", como forma de protesto. A ação ganhou apoio do clube, que, através do perfil oficial no Twitter, 'cutucou' a Estapar e sugeriu que o torcedor usasse outras maneiras para ir ao estádio, de modo que não precisasse usar o estacionamento do local.

O Estatuto do Torcedor, em seu art. 27, inciso I, estabelece que "as entidades responsáveis pela organização da competição e a detentora do mando de jogo solicitarão formalmente ao Poder Público competente, de forma direta ou mediante convênio, serviço de estacionamento para uso por torcedores".

Desta maneira, o torcedor questiona com razão o valor abusivo e solicita que a disponibilização de um serviço necessário seja feita de maneira viável para todos, de modo que o cliente sinta-se confortável.

*Sob a supervisão do editor Léo Santana