Plantão

Qui, 04/10/2018 | Atualizado em: 04/10/2018 às 09h45


Plantão

Jardim Santo Inácio vive horas de terror

Andrezza Moura
A+ A-

O major Hilton Reis, comandante da 48ª CIPM (Sussuarana), afirmou que o possível toque de recolher imposto em Jardim Santo Inácio, na noite da última terça-feira, que teria perdurado durante toda manhã de ontem, não passou de boatos. Segundo ele, alguns áudios disseminados via WhatsApp levaram pânico e temor aos moradores e fizeram com que a direção do Sindicato dos Rodoviários suspendesse temporariamente o serviço de transporte público no bairro.

"Estivemos lá durante a madrugada. O que houve foi a proliferação de áudios que não se confirmou na prática. Está tudo normal, é mais terrorismo", declarou o major.

Durante a manhã, a reportagem esteve no Jardim Santo Inácio e ouviu de alguns moradores que o toque de recolher foi determinado por traficantes de drogas que agem na Mata Escura, após um grupo com cerca de 12 homens tentar invadir o bairro, pela Rua A, por volta das 14h de terça. A invasão foi frustrada e os criminosos fugiram.

Embora o clima fosse de apreensão entre os moradores, lojas comerciais, escolas, igrejas e o posto de saúde do bairro funcionaram no período da manhã.

"Pode ver aí, está tudo tranquilo, tudo aberto. A polícia está circulando. Agora, a população é quem paga por isso", lamentou um morador, sob anonimato por temer represálias.

Outro morador estava revoltado com a insegurança no local e pediu que a polícia continuasse fazendo rondas constantes a fim de evitar tais situações. "Estamos vivendo uma situação que não podemos nem ir nem vir", desabafou o auxiliar administrativo André Luiz Pereira, 28 anos.