Esporte

Sáb, 29/09/2018 | Atualizado em: 29/09/2018 às 05h01


Esporte

Papo sério! Pedido do professor é uma ordem

Amanda Souza*
A+ A-

A vocação ofensiva que o Vitória ganhou com Carpegiani foi fundamental para a sequência que afastou a equipe do Z-4. Para retomar o desempenho, o Leão precisa voltar a usar a receita que deu certo.

O estilo 'pra frente' de jogo é uma caraterística clássica do comandante. Nos primeiros confrontos, a ideia funcionou bem, mas o resultado deste estilo ofensivo é a dificuldade de compactar todos os setores em campo.

Foi assim que o Rubro-Negro saiu com os placares negativos nos dois últimos duelos, cedendo espaços aos rivais e, por consequência, os controles dos jogos. Pensando nisto, a exigência de Carpé para encarar o Inter é um time fechado.

"Contra o Botafogo o time estava distante", assumiu o goleiro Ronaldo. "Ele tem cobrado bastante isso. Nos jogos passados a gente compactava bastante, nossas linhas estavam bem próximas", disse.

Dificultar a infiltração do adversário pode ser a melhor estratégia contra o Colorado, que tem um desempenho excelente dentro de casa. Venceu nove dos 12 jogos, marcou 18 vezes e levou três gols.

O Leão embarcou para Porto Alegre na tarde de ontem e faz o último treino na manhã de hoje, no CT do Grêmio.

Paulo Cézar Carpegiani segue sem poder contar com Erick, que está no DM. Com isso, Wallyson deve ganhar a oportunidade de voltar a começar jogando.

*Sob a supervisão do editor Léo Santana